PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Nise defende revisar procedimento contra covid e critica São Paulo e RJ

Do UOL, em São Paulo

18/05/2020 12h56

A médica oncologista e imunologista Nise Yamaguchi, cotada para assumir o Ministério da Saúde, defendeu hoje que haja uma mudança no protocolo da pasta que aconselha que as pessoas procurem atendimento médico apenas em casos graves. Para ela, este protocolo precisa ser revisto "imediatamente".

Nise defendeu que o foco deve ser no diagnóstico precoce e nos tratamentos. "Na maioria dos lugares não vai achar hidroxicloroquina disponível. O aplicativo do Ministério da Saúde disse 'se você sentir febre, tosse, fica em casa, tem que tomar novalgina e água. Só vai se você piorar'. Aí você vai ver depois, a pessoa está sendo intubada. Isso é grave, tem que ser revisto imediatamente", avaliou ao UOL Entrevista.

A médica ainda criticou São Paulo e o Rio de Janeiro, dizendo que "não querem promover o tratamento inicial" e que as cidades serão as últimas a deixarem o isolamento.

Segundo ela, o coronavírus começou nas classes abastadas e o isolamento ocorreu de forma desnecessária em grande parte das cidades brasileiras. "O que eu acho é que o isolamento que ocorreu em 90% das cidades que não tinham doença é desnecessário", diz, sem citar a fonte da pesquisa que apontaria este percentual de cidades.

"Doria (governador de São Paulo) falou que 75% da indústria de São Paulo continuou funcionando. Não sei exatamente em que lugar porque as cidades do interior também estão em lockdown. Ele falou que a ideia é de que o lockdown é diferente nas cidades. Nessas cidades, São Paulo e Rio de Janeiro, elas serão as ultimas que sairão, se saírem. E não querem tratar, não querem promover o tratamento inicial", acrescentou.

Coronavírus