PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Ministério culpa RR por diferença em dados; BA também tem dados corrigidos

Túmulos recém-escavados no cemitério São Francisco Xavier durante o surto de doença de coronavírus (COVID-19), no Rio de Janeiro - RICARDO MORAES/REUTERS
Túmulos recém-escavados no cemitério São Francisco Xavier durante o surto de doença de coronavírus (COVID-19), no Rio de Janeiro Imagem: RICARDO MORAES/REUTERS

Alex Tajra

Do UOL, em São Paulo

08/06/2020 15h18Atualizada em 08/06/2020 17h55

Em nota publicada hoje para justificar a confusão na divulgação do número de mortes do novo coronavírus no país no dia anterior, o Ministério da Saúde apontou Roraima como o principal culpado.

Segundo a pasta, o estado divulgou dados errados que foram corrigidos posteriormente. O governo de Roraima, porém, negou que tenha repassado números errados e diz que houve um erro de digitação por parte do ministério.

A Bahia também apresentou diferença grande entre o balanço do governo federal divulgado ontem e a correção de hoje. Outros estados também registraram variações, mas em quantidade bem inferior.

A confusão ocorreu ontem à noite e contribuiu para a crise instaurada pela sonegação de dados do coronavírus por parte do governo federal. Em um primeiro momento, o ministério anunciou 1.382 mortes, menos de duas horas depois, o número passou para 525, uma redução de 857.

Hoje, a pasta reafirmou que o número correto é de 525. Em nota, o ministério afirmou hoje que "corrigiu duplicações e atualizou os dados divulgados sobre casos e óbitos pela covid-19 no último domingo", citando especificamente os casos de Roraima.

Segundo a pasta, o governo de Roraima publicou em um primeiro momento o registro de 762 mortes. Depois, "após verificação do Ministério", o número foi consolidado em 142 mortes. Ou seja, isso representaria uma diferença de 620 casos a mais.

Em nota, a secretaria de Saúde de Roraima informou que seus dados atualizados apontaram 145 mortes no estado até a noite de ontem. Uma pequena variação de três casos em comparação com o que o ministério divulgou hoje (142).

"Quanto aos dados do Ministério da Saúde, que apontavam 726 mortos no Estado de Roraima, o próprio ministério, em suas redes sociais, retificou os dados por erro de digitação", diz o texto.

A reportagem tenta contato com o ministério da Saúde e seu posicionamento, se enviado, será acrescentado ao texto.

Bahia também culpa governo federal

Embora a nota do ministério não cite, a Bahia também teve uma redução de 213 mortes entre os dois boletins divulgados ontem. O estado passou, em números consolidados, de 1.092 mortes para 879 vítimas.

Contatada pela reportagem do UOL, a secretaria estadual de Saúde afirmou que a responsabilidade pelo erro é do ministério, e que os números consolidados foram divulgados horas antes do documento da pasta federal.

O ministério ainda não informou o que ocorreu no caso dos dados da Bahia.

Saúde volta a divulgar dados

Após críticas de especialistas, pesquisadores e autoridades, o ministério da Saúde voltou a divulgar ontem o número consolidado de vítimas e casos confirmados do novo coronavírus. A pasta anunciou que trará uma nova plataforma, ainda em desenvolvimento, com informações referentes ao Brasil, aos estados, às capitais e às regiões metropolitanas.

Ontem, a pasta também afirmou que o motivo para a retirada do ar do site oficial dos balanços na sexta-feira foram ataques por grupos de hackers. A confirmação foi feita pela assessoria de imprensa, que acrescentou ter ocorrido um aumento nos padrões de segurança que causou problemas no fluxo de informações no sábado.

Quando o site voltou ao ar, depois de mais de 19 horas, passou a apresentar apenas informações sobre os casos registrados no próprio dia, sem números consolidados, detalhamentos e históricos das curvas. Por conta dessa alteração, o balanço referente ao cenário brasileiro deixou de constar no painel da Universidade Johns Hopkins, referência no monitoramento global da pandemia.

Saúde