PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

SP estende quarentena e flexibiliza Baixada Santista e Região Metropolitana

Do UOL, em São Paulo

10/06/2020 12h46

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou hoje o aumento da quarentena no estado por mais 15 dias. O novo período de isolamento contra a disseminação do novo coronavírus vai de 15 a 28 de junho. De acordo com o político tucano, será uma quarentena "heterogênea", onde será aplicado o Plano São Paulo.

"São Paulo não segue pressão econômica, partidária, ideológica, nem de qualquer ordem, exceto da ciência e da saúde. Nos últimos 85 dias fizemos assim e vamos continuar a fazê-lo. Tenho a convicção de que estamos no caminho certo, na rota certa, e com uma tripulação bem treinada, com um bom comando, pessoas bem informadas e capacidade de agir rapidamente para salvar vidas", disse o governador em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

Flexibilização da Baixada Santista e Região Metropolitana

O governo paulista também anunciou que a Região Metropolitana, Baixada Santista e Vale do Ribeira estão autorizadas para a adoção da Fase 2 do plano de reabertura gradual da economia no estado. O novo modelo entra em vigor na próxima segunda-feira.

O secretário de Desenvolvimento Social, Marco Vinholi, disse que a desaceleração da pandemia na Baixada Santista e o reforço hospitalar na Região Metropolitana permitiram a mudança de fase.

Restrição no interior

O governo também anunciou o endurecimento das medidas de isolamento no interior. Agora, nenhuma região está na fase 3. Presidente Prudente e Barretos, que estavam na fase 3, e Ribeirão Preto, que estava na fase 2, retrocederam para a fase 1. O novo modelo entra em vigor na próxima segunda-feira.

De acordo com a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, a piora no número de internações e mortes fez com que o estado adotasse uma nova postura em relação às três regiões.

"Ribeirão Preto teve crescimento de casos, principalmente internações e mortes, em relação à semana anterior. Na última semana, o crescimento foi de 51% de internações e a relação de óbitos foi 100%. Na região de Presidente Prudente, a variação de internações foi de 60% e de óbitos 50% a mais. Já Barretos teve crescimento de 93% de internações e 100% em óbitos", disse.

Apesar da mudança no cenário e do aumento de casos, o governo afirma que as regiões estão com capacidade hospitalar sob controle.

"O interior precisa de uma atenção. Nessas três regiões a orientação é de endurecimento devido ao momento de atenção que estamos vivendo. É uma medida cuidadosa do estado porque temos leitos nessas regiões, a capacidade de atendimento continua sobre controle", afirmou Ellen.

As fases e o enquadramento das regiões administrativas

Fase 1 - liberação apenas de serviços essenciais, como está agora

  • Regiões: Barretos, Presidente Prudente e Ribeirão Preto

Fase 2 - momento de atenção da pandemia com liberações eventuais

  • Regiões: cidade de São Paulo, Baixada Santista, Vale do Ribeira, Região Metropolitana, São José do Rio Preto, Araçatuba, Taubaté, Campinas, Marília, Sorocaba, Piracicaba, São João da Boa Vista, Bauru, Araraquara/São Carlos e Franca. Aberto com restrições: atividades imobiliárias, concessionárias de veículos, escritórios, comércio e shoppings.

Fase 3 - momento controlado da pandemia com maior liberação de atividades

  • Regiões: Nenhuma. Aberto com restrições: bares e restaurantes, comércio, shopping e salões de beleza. Aberto sem restrições: atividades imobiliárias, concessionárias de veículos e escritórios.

Fase 4 - momento decrescente da pandemia com menores restrições

  • Regiões: nenhuma. Aberto com restrições: bares e restaurantes, comércio, shopping, salões de beleza e academias. Aberto sem restrições: atividades imobiliárias, concessionárias de veículos e escritórios.

Fase 5 - momento de controle da pandemia e liberação de todas as atividades com protocolos

  • Regiões: nenhuma. As atividades podem ser retomadas.

Coronavírus