PUBLICIDADE
Topo

PF e MPF cumprem novos mandados em investigação de fraude na saúde no RJ

A investigação aponta indícios de fraude nas dispensas de licitação realizadas para a compra de medicamentos, EPIs e outros insumos para combater a pandemia de covid-19 - iStock
A investigação aponta indícios de fraude nas dispensas de licitação realizadas para a compra de medicamentos, EPIs e outros insumos para combater a pandemia de covid-19 Imagem: iStock

Do UOL, em São Paulo

31/07/2020 15h40

A Polícia Federal deflagrou hoje a 2ª fase operação scepticus, em ação conjunta com o Ministério Público Federal. A operação visa investigar supostas fraudes em licitações no Fundo Municipal de Saúde de Carapebus, no Rio de Janeiro, durante a pandemia.

De acordo com a PF, as investigações apontam indícios de fraude em dispensas de licitação realizadas para a compra de medicamentos, EPIs, testes rápidos de covid-19, locação de equipamentos e insumos hospitalares e contratação de empresa para montagem de hospital de campanha.

Hoje, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão em Carapebus e Campos dos Goytacazes.

Dentre os indícios de fraude, está a escolha de empresas antes mesmo da instauração de processos de licitação. Algumas empresas têm sede em endereços residenciais, e não contam com empregados ou bens. Além disso, os investigadores identificaram a contratação de fornecedor que tem vínculo familiar com um servidor lotado na Secretaria de Saúde, e a apresentação de propostas de cobertura e montagem de processos de dispensa de licitação.

De acordo com a PF, o valor da compra chega a R$ 5,1 milhões.

O nome da operação vem da palavra "ceticismo" em latim. De acordo com os investigadores, a escolha foi baseada na "falta de crença nas ações empreendidas pelos agentes públicos e empresários investigados nas ações de combate à covid-19".

Coronavírus