PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Prefeito de Osasco cita 'empregabilidade' para não cumprir reclassificação

Rogério Lins recorreu à Justiça para pedir reconsideração do retorno à fase laranja - Reprodução/Facebook
Rogério Lins recorreu à Justiça para pedir reconsideração do retorno à fase laranja Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

10/08/2020 11h50

O prefeito de Osasco (SP), Rogério Lins (Podemos), citou hoje os índices da cidade relacionados à pandemia do coronavírus e a proteção à "empregabilidade" como motivos para não cumprir a reclassificação no Plano SP, determinada pelo governo paulista na sexta-feira (07). A Prefeitura de Osasco pediu a reconsideração da decisão à gestão do governador João Doria (PSDB-SP) e também entrou na Justiça contra ela.

O município da região metropolitana de São Paulo foi reclassificado da fase amarela para a laranja, determinação que deveria começar a valer a partir de hoje e que acontece porque o contágio pelo coronavírus aumentou na região. Com a reclassificação, o horário de abertura do comércio seria reduzido, restaurantes funcionariam apenas no sistema delivery e academia e salões de beleza voltariam a fechar.

"Olhando individualmente os dados do próprio Plano SP, a classificação final da cidade de Osasco ficou no amarelo, inclusive na questão da capacidade do nosso sistema de saúde, estamos classificados já na fase verde", disse Lins em entrevista à Globonews.

"Mas como essa é uma avaliação regional, a gente está fazendo um pedido de reconsideração para o governo do estado e o poder judiciário para que a cidade permaneça de fato na cor e na fase que ela está segundo os dados do próprio governo do estado", explicou o prefeito.

Osasco voltou para a fase amarela do Plano SP porque integra a região da Grande São Paulo Oeste, definida pelo plano de flexibilização paulista. Segundo o governo estadual, essa região apresentou aumento no número de casos de covid-19, índice de contágio e ocupação dos leitos, e por isso foi reclassificada.

"Todos os dados favorecem para que a cidade permaneça na fase amarela, e tem a questão também da empregabilidade que a gente tem que proteger", afirmou Lins, acrescentando que a cidade permanecerá seguindo os protocolos da fase amarela do Plano SP.

Reclassificação desagrada

A determinação de retorno à fase laranja não desagradou apenas a Prefeitura de Osasco. As cidades de Barueri e Itapevi também anunciaram que não cumprirão a reclassificação.

Além delas, outras quatro integram a região da Grande São Paulo Oeste: Carapicuíba, Jandira, Pirapora de Bom Jesus e Santana do Parnaíba.

Coronavírus