PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Bahia anuncia acordo para adquirir 50 milhões de doses de vacina russa

Sputnik V, vacina russa contra o novo coronavírus (covid-19); Bahia anuncia acordo para 50 milhões de doses - The Russian Direct Investment Fund (RDIF)/Handout via REUTERS
Sputnik V, vacina russa contra o novo coronavírus (covid-19); Bahia anuncia acordo para 50 milhões de doses Imagem: The Russian Direct Investment Fund (RDIF)/Handout via REUTERS

Do UOL, em São Paulo*

11/09/2020 07h15

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), anunciou hoje que o estado assinou um acordo para adquirir 50 milhões de doses da vacina contra covid-19 Sputnik V, desenvolvida pela Rússia e atualmente na fase 3 de testes.

O acordo permitirá que a Bahia, por meio do centro de pesquisa farmacêutica Bahiafarma, comercialize a vacina em território brasileiro, com a possibilidade de entrega a partir de novembro de 2020.

Outros detalhes e valores do acordo não foram divulgados. Segundo Rui Costa, a vacina poderá ser fornecida para todo Brasil quando ela for aprovada pelos órgãos responsáveis.

"A Bahia assinou um acordo de cooperação com o fundo soberano da Rússia, o RDIF, para o fornecimento de 50 milhões de doses da vacina Sputnik V, a primeira contra coronavírus registrada em todo o mundo. Vamos poder fornecer a vacina para todo Brasil quando ela for aprovada pelos órgãos responsáveis", escreveu Rui Costa no Twitter.

Em um primeiro momento, a Bahia receberá 500 doses iniciais assim que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar o protocolo para a testagem. Segundo Rui Costa, a intenção é iniciar os testes em outubro.

A Rússia promove a Sputnik como a primeira vacina contra o coronavírus a ser registrada no mundo, embora a Fase 3 de testes ainda não tenha sido concluída.

A vacina russa está sendo desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Gamaleya, de Moscou, e comercializada pelo Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF), que no mês passado fechou um acordo com o Estado do Paraná para testar e produzir a vacina localmente.

*Com informações da Reuters

Coronavírus