PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
10 meses

Estrutura para montar enfermaria de campanha com 60 leitos chega em Manaus

Parentes de pacientes internados nos hospitais, precisaram fazer fila para recarregar cilindros de oxigênio na frente de empresa em Manaus - SANDRO PEREIRA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Parentes de pacientes internados nos hospitais, precisaram fazer fila para recarregar cilindros de oxigênio na frente de empresa em Manaus Imagem: SANDRO PEREIRA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

16/01/2021 17h43Atualizada em 16/01/2021 18h31

Uma nova remessa de materiais que servirão para construir uma enfermaria de campanha em Manaus foram entregues no início da tarde de hoje. A estrutura foi transportada pelas Forças Armadas em um Hércules KC-390 e ficará situada na área externa do Hospital e Pronto Socorro Delphina Aziz, referência no tratamento da covid-19. O trabalho é uma ação integrada entre o Governo Federal, Forças Armadas e o Governo Estadual.

A enfermaria vai contar inicialmente com 60 leitos instalados em módulos de hospitais de campanha do Exército e Aeronáutica, voltados para enfermaria clínica e atenderá pacientes com quadros menos graves de covid-19.

O envio da estrutura foi anunciado pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante um pronunciamento realizado na última quarta-feira (13), na capital do Amazonas.

Tendas, leitos, macas, equipamentos hospitalares chegaram em um contêiner na quinta-feira (14) e servirão para montar uma miniusina de oxigênio que atenderá a unidade.

A estrutura dos leitos foi disponibilizada pelo Governo Federal, que fica responsável pela montagem da unidade hospitalar. Já a gestão dos profissionais será feita em conjunto pelo Governo do Amazonas e o Ministério da Saúde.

No momento, Manaus enfrenta uma crise histórica na saúde devido a falta de oxigênio medicinal para atender pacientes de todas as alas hospitalares.

Colapso do sistema de saúde

O sistema de saúde de Manaus, no Amazonas, iniciou 2021 em colapso, devido ao aumento expressivo de casos da covid-19. A cidade viveu o pico da pandemia em maio de 2020, momento em que o sistema funerário e de saúde marcaram recorde de internações e enterros. A taxa de ocupação do Hospital Delphina Aziz atingiu alta nas taxas de ocupação na última semana de dezembro, com quase 100% dos leitos ocupados.

Na quarta-feira (14), pacientes estavam morrendo asfixiados por falta de oxigênio medicinal nas unidades de saúde. Insumos básicos, como oxigênio, passaram a ficar escassos por causa do volume crescente de internações.

Hoje, o avião que buscaria vacinas da AstraZeneca/Oxford na Índia levou oxigênio para a capital do Amazonas. Ao todo, 40 cilindros foram transportados por volta das 14h no Airbus A330neo da Azul Linhas Aéreas. Também foram enviados 60 concentradores de oxigênio e mais 700 kg de máscaras. A chegada dos equipamentos era prevista para 17h50, no horário de Brasília.

Coronavírus