PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Se Anvisa aprovar, CoronaVac estará pronta de imediato, diz secretário

Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde de São Paulo - Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde de São Paulo Imagem: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

Do UOL, em São Paulo

16/01/2021 15h38

Caso a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprove amanhã o uso emergencial da CoronaVac, a vacina produzida pelo Instituto Butantan com o laboratório chinês Sinovac, a campanha de vacinação contra a covid-19 no Brasil estaria pronta de imediato, segundo o governo paulista.

Na tarde de hoje, o secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, afirmou para a rádio CBN: "Se tiver tudo ok, na segunda-feira, teremos o nosso programa realmente implementado", de acordo com transcrição publicada no site da emissora de rádio.

"É importante a gente lembrar que o fato de São Paulo iniciar eventualmente antes a vacinação, não quer dizer uma desobediência do programa nacional de imunização. Muito pelo contrário, nós tivemos, como eu disse, eu pessoalmente estive no ministério pra gente inserir a vacina no programa nacional de imunização", acrescentou Gorinchteyn.

A Secretaria de Saúde, no entanto, explicou que o governo estará preparado para iniciar a campanha, mas que aguardará a definição de próximos passos para depois da decisão da Anvisa de amanhã.

Amanhã, diretores técnicos da Anvisa vão analisar os pedidos de uso emergencial tanto da CoronaVac quanto da AstraZeneca, vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford com a Fiocruz. A reunião começará às 10h e tem previsão de durar cerca de 5 horas, de acordo com a própria Anvisa.

As duas fabricantes entregaram à Anvisa toda a documentação solicitada, de acordo com a agência reguladora. Até hoje, 44,86% dos documentos relativos à CoronaVac já haviam sido analisados. Da vacina AstraZeneca, a porcentagem era de 49,45%.

A reportagem ligou e enviou mensagens diretamente ao secretário Jean Gorinchteyn, mas não obteve retorno.

Coronavírus