PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Rio deve finalizar 1ª fase da vacinação até sexta, antes do previsto

A técnica de enfermagem Izamara Barbosa, 59, foi a primeira a se vacinar no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla - Tatiana Campbell/Colaboração para o UOL
A técnica de enfermagem Izamara Barbosa, 59, foi a primeira a se vacinar no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla Imagem: Tatiana Campbell/Colaboração para o UOL

Tatiana Campbell

Colaboração para o UOL, no Rio

19/01/2021 17h45Atualizada em 19/01/2021 17h49

A Prefeitura do Rio de Janeiro estima que até esta sexta-feira (22) o primeiro grupo prioritário será totalmente vacinado contra a covid-19. O anúncio foi feito hoje pela coordenadora do Programa de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde.

De acordo com Nádia Greffe, os cerca de 100 mil profissionais de saúde que atuam na linha de frente no combate ao coronavírus e os quase 10 mil idosos e funcionários que estão em instituições de longa permanência já começaram a ser vacinados.

"Iniciamos hoje esse start de vacinação. Amanhã nossas equipes estarão vacinando instituições de Longa Permanência para Idosos e com toda perspectiva positiva, nós pretendemos concluir essa primeira linha de vacinação até o final desta semana, na sexta-feira".

Questionada sobre o atraso na chegada das doses da CoronaVac no Rio de Janeiro, Nádia disse apenas que ocorreram "imprevistos logísticos".

A prefeitura garantiu ainda que a imunização terá um desempenho "rápido e contínuo". Isso porque, segundo a coordenadora do Programa de Imunização, a prioridade é de que as vacinações aconteçam nos locais de trabalho, "porque facilita a imunização, evita o deslocamento do profissional o que torna o processo mais rápido", acrescentou Nádia Greffe.

Primeira dose foi aplicada no hospital de referência

Hoje teve início a imunização dos 2.640 profissionais do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari, na zona norte do Rio, unidade considerada referência no tratamento da covid-19.

A primeira a receber a dose da CoronaVac foi a técnica em enfermagem, Izamara Barbosa, 59. Ela, que está na profissão há 29 anos, ressaltou a importância de todos se imunizarem.

"Foi uma guerra que nós agora estamos vendo que somos vencedores. A vacina vai te ajudar, mas as pessoas precisam mudar os hábitos. Não basta só tomar um remédio e achar que tudo está resolvido. Percam esse medo de tomar a vacina, é necessário. A ciência lutou até agora para que isso acontecesse".

De acordo com a direção do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, toda a imunização será feita respeitando os turnos de trabalho dos funcionários para que todos possam receber a vacina sem atrapalhar o atendimento aos pacientes com coronavírus.

Coronavírus