PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Teich critica ineficiência na compra e na execução das vacinas anti-covid

Ex-ministro Nelson Teich voltou a fazer críticas ao sistema de planejamento federal para aquisição de vacinas contra a covid-19 - Reprodução
Ex-ministro Nelson Teich voltou a fazer críticas ao sistema de planejamento federal para aquisição de vacinas contra a covid-19 Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

22/01/2021 12h48Atualizada em 22/01/2021 14h22

O ex-ministro da Saúde do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) Nelson Teich criticou a negociação, o planejamento e a execução do esquema de aquisições da vacina contra a covid-19 no país. As críticas foram compartilhadas no início da tarde de hoje, nas redes sociais.

"O problema da vacinação contra a covid-19 não foi apostar em poucas vacinas, mas conduzir de forma ineficiente as negociações, o planejamento e a execução", disse o ex-ministro.

Teich acredita que as promessas não cumpridas pelo governo comprometem a credibilidade e a confiança nas instituições. Ao mesmo tempo, ele declarou que "sempre é tempo para rever e recomeçar".

Vacinas vindas da Índia

A previsão do Ministério da Saúde é que 2 milhões de doses da vacina contra a covid-19 produzida pela Universidade de Oxford em parceria com o laboratório AstraZeneca cheguem hoje ao Brasil. A informação foi confirmada ontem pelo secretário de Relações Exteriores indiano, Harsh Vardhan Shringla.

As doses foram encomendadas pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) e fabricadas no laboratório indiano Serum. Uma resolução do governo local impediu que a remessa fosse enviada ao Brasil no último final de semana.

Nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) agradeceu ao primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, pela parceria. "Obrigado por nos auxiliar com as exportações de vacinas da Índia para o Brasil", escreveu o presidente.

Coronavírus