PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Saúde inclui acordos com Rússia e Índia e projeta 230 mi de doses até julho

De acordo com Pazuello, está prevista a entrega de 22,3 milhões de doses da Coronavac até o mês de setembro, totalizando os 100 milhões contratados - Amanda Perobelli/Reuters
De acordo com Pazuello, está prevista a entrega de 22,3 milhões de doses da Coronavac até o mês de setembro, totalizando os 100 milhões contratados Imagem: Amanda Perobelli/Reuters

Do UOL, em São Paulo

17/02/2021 16h08Atualizada em 17/02/2021 16h37

Em uma reunião com governadores nesta quarta-feira (17), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, apresentou a quantidade de imunizantes que chegarão ao Brasil e os contratos para a compra de mais vacinas contra a covid-19. A expectativa é que até julho sejam distribuídas mais de 230,7 milhões de doses para todas as regiões.

De acordo com o cronograma da pasta, em fevereiro serão distribuídas 2 milhões de doses do imunizante produzido pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) em parceria com a farmacêutica AstraZeneca, importadas da Índia. Em março serão mais 18 milhões de doses do Instituto Butantan e outras 16,9 milhões de vacinas da AstraZeneca.

A negociação com os laboratórios da União Química/Gamaleya e Precisa/Bharat Biotech fazem parte do cronograma do primeiro semestre. De acordo com a apresentação de Pazuello, a previsão é que os contratos sejam assinados ainda nesta semana. Os laboratórios irão garantir a chegada da vacina russa Sputnik V e da indiana Covaxin.

Com a incorporação da tecnologia IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) em território nacional, a promessa é que a Fiocruz entregue mais 110 milhões de doses no segundo semestre deste ano. Dentro da mesma lógica de produção nacional, a União Química deverá produzir 8 milhões de doses por mês, segundo o Ministério da Saúde.

A pasta também incluiu no cronograma a entrega de 22,3 milhões de doses da Coronavac até o mês de setembro, totalizando os 100 milhões contratados.

Confira o corongrama apresentado pelo Ministério da Saúde

Fundação Oswaldo Cruz (vacina AstraZeneca/Oxford)

  • Janeiro: 2 milhões (entregues)
  • Fevereiro: 2 milhões (importadas da Índia)
  • Março: 4 milhões (importadas da Índia) + 12.900.000 (produção nacional com IFA importado)
  • Abril: 4 milhões (importadas da Índia) + 27,3 milhões (produção nacional com IFA importado)
  • Maio: 28,6 milhões (produção nacional com IFA importado)
  • Junho: 28,6 milhões (produção nacional com IFA importado)
  • Julho: 3 milhões (produção nacional com IFA importado)

Fundação Butantan (vacina Coronavac/Sinovac)

  • Janeiro: 8,7 milhões (entregues)
  • Fevereiro: 9,3 milhões
  • Março: 18,1 milhões
  • Abril: 15,9 milhões
  • Maio: 6 milhões
  • Junho: 6 milhões
  • Julho: 13,5 milhões

Covax Facility

  • Março: 2,6 milhões (vacina importada da AstraZeneca/Oxford)
  • Até junho: 8 milhões (vacina importada da AstraZeneca/Oxford)

União Química (vacina Sputnik V/Instituto Gamaleya/RUS)

  • Março: 400 mil (importadas da Rússia)
  • Abril: 2 milhões (importadas da Rússia)
  • Maio: 7,6 milhões (importadas da Rússia)

Precisa Medicamentos (vacina Covaxin/Barat Biotech/IND)

  • Março: 8 milhões (importadas da Índia)
  • Abril: 8 milhões (importadas da Índia)
  • Maio: 4 milhões (importadas da Índia)

Coronavírus