PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Prefeito de São Bernardo cogita mais restrições no ABC e cobra Capital

O prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando - Estadão Conteúdo
O prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando Imagem: Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

24/02/2021 08h56Atualizada em 24/02/2021 09h30

Os prefeitos das cidades do ABC paulista estudam adotar medidas mais restritivas para tentar frear o número de casos e internações por covid-19, afirmou hoje o prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando (PSDB).

Em entrevista à GloboNews, Morando afirmou que tem conversado com os demais prefeitos da região para que eles anunciem novas restrições, como fez São Bernardo do Campo na segunda-feira (22). A cidade determinou toque de recolher das 22h às 5h e suspendeu as aulas presenciais em escolas.

A situação do Grande ABC é perigosa, e medidas precisarão ser tomadas, respeitando a vontade de cada prefeito.
Orlando Morando, perfeito de São Bernardo, à GloboNews

Fazem parte do Grande ABC as cidades de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

Morando disse ainda que é preciso que a cidade de São Paulo também adote medidas mais duras de restrição para que não haja um deslocamento da população do ABC para a capital.

"Não adianta adotarmos medidas de restrição se a capital não adotar, pois população [do ABC] vai para a capital", afirmou.

Pior momento

O prefeito de São Bernardo disse ainda que a cidade vive seu pior momento desde o início da pandemia no ano passado. Segundo Morando, o município tem hoje uma ocupação de 89% dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) destinados a pacientes com covid-19.

"Estou no pior momento em 11 meses de pandemia. Na primeira onda, não passamos de 70% de ocupação de UTI e hoje passamos de 89%", afirmou.

Coronavírus