PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

Saúde assina contrato para compra de 20 milhões de doses da Covaxin

Até julho, a previsão do governo federal é enviar mais de 200 milhões de doses de vacinas para os estados, imunizando, assim, 50% da população brasileira - Pexels
Até julho, a previsão do governo federal é enviar mais de 200 milhões de doses de vacinas para os estados, imunizando, assim, 50% da população brasileira Imagem: Pexels

Do UOL, em São Paulo

25/02/2021 20h11Atualizada em 26/02/2021 14h34

O Ministério da Saúde assinou hoje contrato para a compra de 20 milhões de doses da vacina Covaxin, desenvolvida pelo laboratório indiano Bharat Biotech, representado no Brasil pela Precisa Medicamentos.

Segundo a pasta, 8 milhões de doses do imunizante começam a chegar no mês de março, divididos em dois lotes a serem entregues entre 20 e 30 dias após a assinatura do contrato.

Em abril, a expectativa é receber outras 8 milhões de doses importadas da Índia e, em maio, é esperado o último lote com 4 milhões de unidades.

No último dia 5, a Precisa Medicamentos apresentou pedido de autorização de pesquisa clínica de fase 3 para a vacina Covaxin no Brasil. Naquela mesma semana, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) anunciou mudanças no guia para uso emergencial de vacinas contra a covid-19, incluindo o fim da exigência de que haja estudos de fase 3 sendo feitos no Brasil para que a agência conceda a autorização emergencial.

Mesmo sem a autorização para uso emergencial ou registro para aplicação da vacina, a Covaxin está no caminho para a liberação. A Anvisa já anunciou que, em março, vai inspecionar a fábrica onde é produzido o imunizante na Índia —a vistoria faz parte do processo de obtenção de autorização.

O contrato assinado pelo Ministério da Saúde tem investimento total de R$ 1,6 bilhão. Além da Covaxin, o Brasil tem acordos de uso emergencial para receber doses da CoronaVac, Oxford/AstraZeneca e também pelo consórcio Covax Facility, da OMS (Organização Mundial da Saúde).

Segundo a pasta, para agilizar o processo de compra de novas doses de vacina, foram publicadas portarias que dispensam o uso de licitação para a compra dos imunizantes —até então uma exigência. A iniciativa foi tomada na semana passada.

Desde o início da vacinação no Brasil, o governo distribuiu cerca de 15 milhões de doses. Até julho, a previsão é enviar mais de 200 milhões de doses para os estados, imunizando, assim, 50% da população brasileira.

Veja abaixo o cronograma da Covaxin:

  • Março: 8 milhões de doses entregues em dois lotes entre 20 e 30 dias após assinatura do contrato;
  • Abril: 8 milhões de doses entregues também em dois lotes após 45/60 dias da assinatura do contrato;
  • Maio: 4 milhões de doses entregues 70 dias após assinatura do contrato.

Na fase 1 de testes, a vacina Covaxin teve resultados de segurança dentro do esperado e gerou resposta imunológica aprimorada contra a covid-19, concluiu estudo publicado pela revista científica The Lancet. Entretanto, a farmacêutica ainda não divulgou dados de eficácia (capacidade de prevenir a doença) da vacina.

Saúde