PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
9 meses

Governo de Santa Catarina decreta lockdown no final de semana

Colaboração para o UOL

26/02/2021 08h24Atualizada em 26/02/2021 10h37

O Governo de Santa Catarina anunciou um lockdown para este final de semana em todo o estado. O funcionamento de serviços não essenciais ficará suspenso das 23h de hoje até as 6h de segunda-feira (1º). A decisão foi tomada para enfrentar o novo coronavírus em um momento de agravamento da pandemia no estado.

A medida também vale para o próximo final de semana. O lockdown começará às 23h da sexta-feira (5) e termina às 6h de segunda-feira (8).

Santa Catarina registrou 7.164 mortes por covid-19 desde o início da pandemia, segundo dados do Ministério da Saúde. A taxa de ocupação dos leitos de UTI na rede pública é de 91,2%.

A média móvel de mortes no estado, apurada pelo consórcio de imprensa do qual o UOL faz parte, registrou ontem aceleração de 64% em relação ao índice de 14 dias atrás.

O governador Carlos Moisés (PSL) prometeu esforços para ampliar a capacidade da rede hospitalar, garantir a distribuição de vacinas e assegurar a fiscalização das atividades. Mas também pediu ajuda da população.

Não medimos esforços para proteger a vida dos catarinenses. Fizemos e continuamos fazendo tudo ao nosso alcance. O novo quadro que se apresenta é extremamente grave, e por isso, é fundamental que o Governo do Estado tome medidas ainda mais duras, pois o que importa é preservar a vida dos catarinenses".
Carlos Moisés, governador de Santa Catarina

Em vídeo divulgado nas redes sociais, Moisés afirmou que "não há solução viável sem a colaboração de todos. O respeito às regras é o caminho mais curto e seguro para que a normalidade seja restabelecida".

Nos últimos 30 dias, segundo o Governo de Santa Catarina, foram pactuados 130 novos leitos de terapia intensiva e 220 leitos clínicos em diferentes regiões. Além disso, na terça-feira (23), foram anunciados R$ 600 milhões para contratar leitos de UTI na rede privada.

Também há garantia de R$ 300 milhões para a compra de novas doses de vacina para imunizar a população. Até agora, mais de 211,7 mil doses foram aplicadas no estado.

Ainda de acordo com o governo, a fiscalização das medidas e protocolos de saúde também foi reforçada por 500 policiais militares dedicados à tarefa.

O secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, avaliou as novas medidas como fundamentais para conter o avanço da doença.

"Estamos no momento mais crítico da pandemia em Santa Catarina. Precisamos que todos entendam e façam a sua parte evitando aglomerações e seguindo os protocolos sanitários. Os municípios, entendendo a peculiaridade local, podem adotar medidas até mais restritivas, para reforçar este movimento do Estado", afirmou.

Ontem, em um comunicado a prefeitos, Ribeiro já tinha dito que o sistema de saúde em Santa Catarina estava entrando em colapso.

"Preciso informar a todos que a situação da pandemia deteriorou no estado todo e, a exemplo do que acontece nas regiões mais a oeste, estamos entrando em colapso!", disse.

Os serviços considerados essenciais estão definidos no Decreto 562/ 2020. As novas medidas se somam às do Decreto 1.168, de 24 de fevereiro, que permanece em vigor. O texto anterior também tinha novos protocolos de saúde que alteram horários de funcionamento de diversos serviços e estabelecimentos comerciais no Estado. Esses protocolos seguem valendo por 15 dias.

Saúde