PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

Capital de SP prevê '15 dias de pressão' e revela negociação por Janssen

Edson Aparecido (PSDB) disse que se reunirá com a Johnson & Johnson nesta semana - Aloisio Mauricio/FotoArena/Estadão Conteúdo
Edson Aparecido (PSDB) disse que se reunirá com a Johnson & Johnson nesta semana Imagem: Aloisio Mauricio/FotoArena/Estadão Conteúdo

Colaboração para o UOL

02/03/2021 11h36

A prefeitura de São Paulo está preocupada com o agravamento da pandemia de covid-19 na cidade. O Secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, espera que haverá mais 15 dias com aumentos de internações causadas pelo coronavírus. Para ajudar a resolver, a prefeitura tenta acelerar a vacinação e também negocia a compra de mais imunizantes.

"São Paulo tem 21% das pessoas internadas que não são residentes da cidade. Estamos recebendo muita gente da região metropolitana e do estado inteiro. Estamos em um momento de pressão, mas conseguindo suportar pressão, que é consequência do período do Carnaval. Teremos ainda 15 dias de pressão e aumento de casos e internações na cidade de São Paulo", previu Edson Aparecido em entrevista à CNN Brasil.

Questionado se a cidade pretende implementar mais regras de fechamento ou até um lockdown, Edson aproveitou para pedir medidas ao governo federal.

"Tem gente viajando em todo país. Os três aeroportos que mais recebem gente do Norte do país são Cumbica, Congonhas e Campinas. Essas medidas, para conter a evolução das variantes, seriam medidas mais amplas, que possibilitassem uma restrição maior. Se não, o atendimento de saúde vai ter dificuldade", alertou o Secretário.

Vacinas

Desde que o STF (Supremo Tribunal Federal) autorizou os municípios do Brasil a comprarem vacinas diretamente, sem participação do governo federal, muitos prefeitos começaram a se movimentar para isso. Edson contou que São Paulo abrirá negociações nesta semana.

"O prefeito Bruno Covas autorizou conversas com laboratórios. Estamos em conversas com 2 laboratórios. Um deles é da Janssen, que deve ser realizado nessa semana. E o prefeito separou recursos para que cidade possa comprar vacina", revelou Edson.

Janssen é a vacina desenvolvida pelo laboratório da Johnson & Johnson. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) ainda não liberou esse imunizante no Brasil.

Edson afirmou que essa negociação ainda está no início. A conversa desta semana será só o "primeiro passo" para a possível compra, portanto não há um prazo para que a vacina seja disponibilizada.

São Paulo também participará do consórcio feito pela FNP (Frente Nacional de Prefeitos). Hoje o líder dessa organização, Jonas Donizette, informou que visitará a fábrica da vacina russa Sputnik V em Guarulhos. Esse imunizante também não tem aprovação da Anvisa por enquanto.

Enquanto não consegue novas vacinas, a prefeitura tenta acelerar a vacinação dos idosos. No final de semana, aconteceram muitas filas longas, principalmente nos postos de drive-thru. Por isso novos locais desse tipo serão abertos.

"Até o final de semana teremos drive-thru no Parque Vila Lobos, no Teatro Paulo Eiro, no Ginásio do Ibirapueera e no Clube Monte Líbano. E mais 17 UBS (Unidades Básicas de Saúde) vão abrir salas de vacinação, para não ter aglomeração", informou Edson.

Conforme anunciado desde a semana passada, São Paulo vai começar a vacinar idosos de 77, 78 e 79 anos a partir de amanhã.

Saúde