PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
8 meses

Bolsonaro e 'seus asseclas' deixaram o Brasil vermelho de sangue, diz Maia

Rodrigo Maia criticou  política adotada por Bolsonaro durante a pandemia do novo coronavírus -  Maryanna Oliveira/Agência Câmara
Rodrigo Maia criticou política adotada por Bolsonaro durante a pandemia do novo coronavírus Imagem: Maryanna Oliveira/Agência Câmara

Do UOL, em São Paulo

17/03/2021 08h24

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ) escreveu, em uma mensagem no Twitter, que Bolsonaro e seus aliados deixaram o Brasil "vermelho de sangue" pela política adotada durante a pandemia do novo coronavírus.

Ao compartilhar uma notícia da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) que aponta o maior colapso sanitário e hospitalar da história do país, Maia fez uma ironia com um discurso recorrente de Bolsonaro sobre "combater o comunismo" no Brasil, simbolizado pela bandeira vermelha.

"Vejam esta imagem. Bolsonaro e seus asseclas falaram tanto em não deixar nossa bandeira vermelha que acabaram deixando o país inteiro vermelho de sangue. Meus sentimentos por quase 3 mil mortos", disse Maia.

Ontem, o Brasil bateu o recorde de mortes por covid-19 registradas em um dia: 2.798. No total, 282.400 pessoas já morreram no país em decorrência da doença. O levantamento é do consórcio de imprensa do qual o UOL faz parte, com base nos dados fornecidos pelas secretarias estaduais de saúde.

Segundo levantamento da Fiocruz, 24 estados e o Distrito Federal estão com taxas de ocupação de leitos públicos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para pacientes de covid-19 igual ou superior a 80%. Destes, 15 têm taxas iguais ou superiores a 90%. Para os pesquisadores, trata-se do "maior colapso sanitário e hospitalar da história do Brasil".

Coronavírus