PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Esse conteúdo é antigo

SP bate novo recorde e registra 1.209 óbitos por covid-19 nas últimas 24h

Arquivo - Sepultamento de vítima de covid-19 no Cemitério da Vila Formosa, na zona leste de São Paulo; estado bateu novo recorde - Antônio Molina/Zimel Press/Estadão Conteúdo
Arquivo - Sepultamento de vítima de covid-19 no Cemitério da Vila Formosa, na zona leste de São Paulo; estado bateu novo recorde Imagem: Antônio Molina/Zimel Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

30/03/2021 11h26Atualizada em 30/03/2021 11h37

O estado de São Paulo bateu um novo recorde e registrou 1.209 óbitos por covid-19 nas últimas 24 horas. O recorde até então havia sido registrado na última sexta-feira (26), com 1.193 mortes em decorrência da doença.

Segundo a secretaria estadual de Saúde, o número tem dados acumulados do final de semana, quando habitualmente são registrados menos óbitos.

Com isso, desde o início da pandemia, o estado já soma 73.492 mortes e 2.446.680 casos — sendo 21.360 registrados de ontem para hoje.

Até o ontem (29), havia 31.041 pessoas internadas, sendo 12.946 em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 18.095 em enfermaria.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 92,3% no estado e de 92,6% na Grande São Paulo.

Fase emergencial prorrogada

O governo de São Paulo prorrogou a fase emergencial do Plano São Paulo até o dia 11 de abril. Na fase emergencial — criada no início deste mês —, todos os serviços não essenciais ficam fechados e há uma espécie de toque de recolher a partir das 20h.

As escolas estaduais ficam abertas apenas para apoio, como fornecimento de merenda, e todas as atividades esportivas, incluindo campeonatos de futebol sem torcida, continuam suspensas.

São Paulo passa pelo pior momento da pandemia desde março do ano passado. Na avaliação do Centro de Contingência do Coronavírus, o período de restrição de circulação de pessoas é essencial para a redução dos altos índices da pandemia. As duas últimas semanas registraram uma queda sutil no crescimento das internações, mas ainda com escalada de casos e mortes por covid.

Saúde