PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Governo de São Paulo vai estender fase emergencial até 11 de abril

Siga o UOL no

Lucas Borges Teixeira e Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

26/03/2021 11h41

O governo de São Paulo vai prorrogar a fase emergencial do Plano São Paulo por mais 15 dias, a partir de hoje. A medida restritiva, que inicialmente valeria até a próxima terça-feira (30), será estendida até 11 de abril, um domingo.

O anúncio foi feito na coletiva de imprensa desta sexta (26) no Palácio dos Bandeirantes pelo vice-governador Rodrigo Garcia (DEM). O governador João Doria (PSDB) não participou do evento.

Na fase emergencial —criada no início deste mês—, todos os serviços não essenciais ficam fechados e há uma espécie de toque de recolher a partir das 20h. As escolas estaduais ficam abertas apenas para apoio, como fornecimento de merenda, e todas as atividades esportivas, incluindo campeonatos de futebol sem torcida, continuam suspensas.

A ampliação do período, calculado inicialmente para 15 dias, já era considerada pelo governo paulista. Com o anúncio, serão 26 dias com todo o estado na fase emergencial depois de nove dias já na fase vermelha.

Pior momento da pandemia no estado

São Paulo passa pelo pior momento da pandemia desde março do ano passado. Entre ontem e hoje, o estado registrou 1.193 mortes —um recorde— e já ultrapassou a marca de 70 mil óbitos por causa da covid. O índice de ocupação de UTIs também nunca esteve tão alto (91,6%).

Na avaliação do Centro de Contingência do Coronavírus, o período de restrição de circulação de pessoas é essencial para a redução dos altos índices da pandemia. As duas últimas semanas registraram uma queda sutil no crescimento das internações, mas ainda com escalada de casos e mortes por covid.

Nos últimos 10 dias, a média de crescimento diário caiu para 2,2%, comparado com 2,9%. Não é uma mudança linear. Nos últimos dias, a gente tem observado aumento de internações que fica em 0,8% ou 1%.
Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência

"Acreditamos que ao longo desse período vamos começar a observar redução progressiva no número de casos graves, consequente dessas medidas e pelo efeito protetor da vacinação no estado", disse Menezes.

"Quarentena não é férias"

O governo espera atingir melhores índices nas próximas semanas, inclusive o aumento nas taxas de isolamento. Os membros se referem à fase emergencial como uma espécie de lockdown, em que a circulação de pessoas não é proibida, mas restrita ao máximo.

O termo "lockdown", antes rejeitado taxativamente pela gestão de João Doria (PSDB), começou a ser considerado com o agravamento da situação. Outros países decretaram lockdown rígido, com proibição das famílias saírem de casa, e auxílio financeiro à população e às empresas, e conseguiram reduzir os índices da pandemia.

Aqui, algumas cidades paulistas, como Santos, no litoral, o Campinas, no interior, adotaram medidas mais rígidas que a fase emergencial nas últimas semanas.

Quarentena não é ferias. Estamos cancelando Operação Descida na Rodovia Tamoios. Vamos reforçar blitze de fechamento de festas clandestinas. Já são mais de 800 festas com a Prefeitura de São Paulo. Estamos reforçando isso no interior. Durante feriados, as blitze continuarão, com apoio às barreiras sanitárias no litoral. Fiquem em casa e se protejam.
Rodrigo Garcia (DEM), vice-governador de São Paulo

Segundo o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, serão mais de cem barreiras sanitárias.

"Peço que repensem se vão viajar pelo momento que vamos passar e pelo que vão encontrar. Estamos fiscalizando festas irregulares. Todas prefeituras articuladas com barreiras e fiscalizando", disse. "Para os próximos dias, pedimos que pessoas compreendam a gravidade do momento e necessidade de ficar em casa e não viajar."

Coronavírus