PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Minas Gerais recebe mais 478.150 doses de vacinas contra a covid-19

Nova remessa vai dar continuidade à vacinação dos trabalhadores da saúde, idosos de 70 a 74 e 65 a 69 anos, e profissionais das forças de segurança - Uarlen Valério / Estadão Conteúdo
Nova remessa vai dar continuidade à vacinação dos trabalhadores da saúde, idosos de 70 a 74 e 65 a 69 anos, e profissionais das forças de segurança Imagem: Uarlen Valério / Estadão Conteúdo

Colaboração para o UOL

08/04/2021 09h56

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, anunciou hoje que o estado vai receber mais 478.150 doses de vacinas contra a covid-19. A nova remessa dará continuidade à vacinação dos trabalhadores da saúde, idosos de 70 a 74 e 65 a 69 anos, e profissionais das forças de segurança. As doses estarão disponíveis para os municípios a partir de amanhã.

Em entrevista coletiva, o governador informou que os municípios que vacinarem mais rápido vão receber mais doses do imunizante.

A medida faz parte de um plano para agilizar a vacinação em Minas Gerais, em parceria com o Ministério Público e a Associação Mineira de Municípios. Segundo Zema, o governo tem pedido às prefeituras que não interrompam a vacinação.

"Montar estoque de vacina neste momento é algo que seria extremamente não recomendável, a vacina resolve nosso problema quando está aplicada no braço de quem precisa. Nessas cidades onde o processo está mais ágil nós estaremos direcionando uma reserva técnica, ou seja, quem está com maior velocidade vai receber um pouco mais de vacina. Não é muito, mas vai receber mais", afirmou.

Zema também criticou a postura de algumas prefeituras em relação ao plano de vacinação. "Algumas prefeituras não buscam essas vacinas na velocidade que poderiam, algumas não aplicam na velocidade que poderiam, e ainda temos problema de informação. Prefeituras aplicam, mas não informam na velocidade esperada", disse.

O governador reforçou o pedido para que as prefeituras não interrompam o processo de imunização nas cidades. "Temos solicitado aos prefeitos que o processo não seja interrompido, mas onde há fila e onde há disponibilidade de vacinas, que é na maioria das prefeituras, que esse processo continue inclusive no final de semana."

Saúde