PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Fase vermelha volta nesta segunda em SP; veja o que abre e o que fecha

Siga o UOL no

Lucas Borges Teixeira

Do UOL, em São Paulo

11/04/2021 04h00Atualizada em 11/04/2021 23h42

A partir de desta segunda-feira (12), todo o estado de São Paulo voltará para a fase vermelha do Plano São Paulo, de controle da pandemia e retomada econômica. Com a medida, a restrição à maioria dos serviços presenciais e a proibição às aglomerações se mantêm, mas há algumas mudanças.

Conforme anunciado pelo governo paulista na sexta-feira (9), atividades esportivas passam a ser liberadas sem público, lojas de material para construção poderão abrir e os consumidores poderão retirar comida e produtos em restaurantes e lojas —atividades até então proibidas na fase emergencial.

Veja o que está e o que não está permitido na fase vermelha:

Fecha

  • Shoppings, galerias e comércio de rua (só funcionam delivery, drive-thru ou retirada),
  • Bares e restaurantes (só funcionam delivery, drive-thru ou retirada),
  • Salões de beleza e barbearias,
  • Cinemas, teatros e casas de show,
  • Universidades (só cursos de saúde funcionam),
  • Eventos, convenções e atividades culturais,
  • Atividades com aglomeração,
  • Academias de esporte e centros de ginástica,
  • Concessionárias,
  • Parques e zoológico,
  • Igrejas e templos religiosos,
  • Permanece valendo o toque de recolher das 20h às 5h.

Abre

  • Farmácias e serviços de saúde,
  • Mercados, supermercados e locais que vendam comida, mas sem consumo local,
  • Escolas (retomada gradual com até 35% de ocupação) e cursos da área de saúde em universidades,
  • Construção civil e indústria,
  • Lavanderias,
  • Serviços de segurança pública e privada,
  • Empresas de locação de veículos.

O que mudou

Da fase emergencial para a vermelha, na prática, só mudaram três serviços:

  • Reabertura das lojas de material de construção;
  • Retomada de eventos esportivos, como futebol, sem a presença de público e seguindo restrições;
  • Retirada de pedidos de comida diretamente em restaurantes e lojas --o chamado "take away".

Quantos às escolas, o secretário da Educação, Rossieli Soares, disse na sexta que as aulas na rede estadual terão retorno gradual a partir da semana que vem. "[Os dias] 12 e 13 de abril devem ser aproveitados para organizar [o retorno] e conversa com as famílias", disse Soares. As aulas presenciais devem começar no dia 14 nas unidades estaduais.

As atividades nas redes municipais e privada de ensino dependem de liberação das prefeituras. Na capital, a gestão Bruno Covas (PSDB) confirmou a retomada das aulas presenciais a partir de segunda.

Apesar das mudanças, o governo de São Paulo ressalta que as restrições continuam e é necessário cumprir as regras para que se alcance melhores resultados no controle da pandemia de covid-19.

Saímos da fase emergencial para a fase vermelha, mas incorporamos várias recomendações que estavam na emergencial, por entender que elas são importantes nessa transição. Temos redução no número de casos e internações, mas ainda temos óbitos. A redução de número de óbitos só deve ocorrer na segunda quinzena de abril.
João Gabbardo, coordenador-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus

Saúde