PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
15 dias

Cajamar suspende aplicação de segunda dose da Coronavac por falta de vacina

Suspensão na aplicação de segundas doses ocorre por falta de vacinas, que são enviadas pelo governo estadual - iStock
Suspensão na aplicação de segundas doses ocorre por falta de vacinas, que são enviadas pelo governo estadual Imagem: iStock

Colaboração para o UOL

22/04/2021 09h29Atualizada em 22/04/2021 10h59

A Prefeitura de Cajamar (SP) anunciou ontem a suspensão temporária da aplicação da segunda dose da vacina CoronaVac devido a um atraso no envio de lotes, que é feito pelo governo estadual.

"Assim que o Governo de São Paulo restabelecer o envio das doses, a Secretaria de Saúde [do município] entrará em contato imediatamente com todas as pessoas que estão com a segunda dose pendente para fazer o agendamento", diz nota da prefeitura de Cajamar.

A aplicação de primeiras doses continua na cidade, com a etapa atual focando pessoas com idade igual ou superior a 65 anos.

O agendamento pode ser feito através do Tele Saúde de Cajamar, pelos telefones (11) 4447-1233 | (11) 4446-6330 | (11) 4446-6818 | (11) 99483-0881 | (11) 99465-4332 | (11) 98964-0716. Para realizar o cadastro, é preciso informar CPF, número da carteirinha do SUS e comprovante de endereço.

Procurada pela reportagem, a Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo informou que cumpre com seus compromissos e que o município deveria cobrar o Ministério da Saúde por mais doses da vacina contra a covid-19.

"A Prefeitura de Cajamar deveria cobrar o Ministério da Saúde por mais doses ao invés de concentrar a responsabilidade no Governo do Estado, que está cumprindo com seus compromissos. Tanto é que já destinou ao município 11.433 doses, e este registrou apenas 9.047 aplicações na plataforma VaciVida, o que evidencia um "saldo" de pelo menos 2.300 doses que deveriam ter sido administradas pelo município, a quem cabe tomar providências e trabalhar com transparência em relação ao consumo das grades enviadas", disse a secretaria em nota.

A pasta afirmou ainda que envia as doses aos municípios conforme o Ministério da Saúde as liberam para o estado.

"Todas as grades de vacinas são enviadas a cada região e cidade em tempo oportuno, em quantidade idêntica para aplicação de primeira e segunda dose. As grades de distribuição levam em conta o público integral e são acompanhadas das recomendações para aplicação", disse.

Instituto Butantan retoma produção de vacina

O Instituto Butantan retomou a produção da CoronaVac ontem, após a chegada de insumos da China. Com isso, o envase de mais cinco milhões de doses do imunizante foi iniciado ontem.

Segundo Dimas Covas, diretor do Butantan, o atraso do insumo ocorreu por burocracia. "A produção do IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) [na China] está pronta. Estamos aguardando o desembaraço de documentação, não temos nenhum motivo para pensar diferente disso", declarou, em coletiva de imprensa no dia em que foi anunciada a paralisação temporária na produção do imunizante.

Com o atraso na entrega da remessa do IFA, que deveria ter pousado no Brasil no final de março, o Butantan só vai conseguir completar a entrega das 46 milhões de vacinas ao Ministério da Saúde até 10 de maio. Antes, previa-se fornecer o produto até o fim de abril.

Saúde