PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
5 meses

Medicamentos vencidos são encontrados em Centro de Distribuição de Cuiabá

Denúncia foi feita pelos vereadores Maysa Leão (PP) e Diego Guimarães (Cidadania) - Reprodução/Instagram
Denúncia foi feita pelos vereadores Maysa Leão (PP) e Diego Guimarães (Cidadania) Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

24/04/2021 16h44Atualizada em 24/04/2021 22h05

Remédios vencidos que serviriam para tratar pacientes da covid-19 foram encontrados ontem no Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos de Cuiabá. O caso foi denunciado ao Ministério Público por vereadores que fizeram uma vistoria no local.

Foram encontrados medicamentos como amoxicilina, ibuprofeno, ritalina, anestésicos, dipirona, paracetamol, de acordo com os vereadores Maysa Leão (PP) e Diego Guimarães (Cidadania).

"Notamos a tensão da equipe que nos recebeu, e no último corredor encontramos uma quantidade exorbitante de medicamentos vencidos, que não foram destinados aos hospitais e unidades de saúde da capital. Na mesma hora, acionamos a Delegacia de Combate a Corrupção para apurarem a situação", disse

Alguns dos insumos que estavam no Centro de Distribuição venceram em setembro e dezembro de 2020. "Infelizmente é dinheiro público que está indo para o ralo, principalmente nesse momento de pandemia", disse o parlamentar no vídeo compartilhado por Maysa Leão.

O espaço onde os remédios vencidos foram encontrados é usado pela SMS (Secretaria Municipal de Saúde) para armazenar os insumos e organizar a distribuição para as unidades de saúde da capital do Mato Grosso.

Secretaria alega que "não tem nada a esconder"

A Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá informou em nota que "não tem nada a esconder" e que a secretária Ozenira Félix está à disposição da Câmara Municipal para prestar todos os esclarecimentos necessários.

"Bastava os vereadores que estiveram no local na tarde de sexta-feira (23) agendarem uma vistoria, que a secretária Ozenira Félix [iria] pessoalmente acompanhá-los, juntamente com uma equipe técnica, para explicar a situação", prontificou a SMS.

Ainda de acordo com a secretaria, já há procedimento administrativo correndo acerca desses medicamentos fora do prazo de validade, onde constam as notas dos fornecedores, o levantamento do motivo para a não dispensa dos produtos e a baixa demanda "que se acentuou neste período de pandemia".

O UOL entrou em contato com o Ministério Público para saber se a investigação sobre o caso foi aberta. Até o momento da publicação desta matéria, não obtivemos retorno.

Coronavírus