PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Estudo preliminar: Meia dose de AstraZeneca tem resultados iguais a inteira

Homem vacinado contra a covid no Hospital Universitário no Espírito Santo - Assessoria de Comunicação da Sesa
Homem vacinado contra a covid no Hospital Universitário no Espírito Santo Imagem: Assessoria de Comunicação da Sesa

Matheus Brum

Colaboração para o UOL, em Vitória

06/10/2021 16h42Atualizada em 06/10/2021 16h42

Um estudo nacional, em andamento em Viana, na região metropolitana de Vitória, apresentou um resultado preliminar que mostra que a meia dose da vacina AstraZeneca tem efeito similar a uma dose inteira, que é padrão e está sendo aplicada dessa forma em todo o Brasil.

O projeto, denominado Viana Vacinada, imunizou 20 mil habitantes do município entre 18 e 49 anos. Eles tomaram duas meias doses, em um intervalo de oito semanas, entre julho e agosto.

Segundo o resultado preliminar, divulgado pelos pesquisadores ao Ministério da Saúde, 88% dos moradores conseguiram anticorpos contra a doença após a primeira aplicação.

Depois da segunda, esse número saltou para 99,8%. De acordo com os coordenadores da pesquisa, essa porcentagem é idêntica à registrada nas pessoas que tomaram as duas doses inteiras.

Se os resultados produzirem evidência científica, poderão embasar a tomada de decisão pelos governos e pela OMS [Organização Mundial da Saúde] para um esquema de vacinação em massa com duas meias doses."
Valéria Valim, médica e coordenadora da pesquisa

Como os resultados são preliminares, a pesquisa ainda precisa passar por novas etapas de validação e de revisão antes de ser considerado como um estudo científico. A previsão é que, até dezembro, isso seja concluído.

O projeto é coordenado pelo Hucam/Ufes (Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes da Universidade Federal do Espírito Santo), em parceria com a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), e patrocinado pelo Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação em Saúde, da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa). Conta ainda com o apoio da Opas (Organização Pan-Americana de Saúde) e do Ministério da Saúde.

Em nota, a Fiocruz disse apenas que a "pesquisa conta com pesquisadores de diversas instituições" e que a comunicação de resultados preliminares está centralizada na Ufes.

Intervalos menores também apresentam resultados positivos

O projeto Viana Vacinada também analisa a produção de anticorpos em pessoas que tomaram as duas meias doses em um intervalo menor: quatro semanas em vez de oito. De acordo com os pesquisadores, a incidência de novos casos de covid-19 também foi semelhante nos dois grupos.

Outro ponto analisado são os efeitos colaterais da vacina. As reações são semelhantes entre quem tomou a meia dose e a padrão. Entretanto, o tempo de duração foi menor nos moradores que participaram do projeto em Viana.

grupo - Assessoria de Comunicação da Sesa - Assessoria de Comunicação da Sesa
Grupo de pesquisa com meia dose da vacina AstraZeneca contra a covid em Viana
Imagem: Assessoria de Comunicação da Sesa

"Os resultados apresentados até o presente momento apresentam a esperança, a perspectiva de um rumo diferenciado na vacinação da população adulta em todo mundo. Os resultados que nós temos apresentados têm, inclusive, suscitado a possibilidade de que a dose de reforço possa, caso os estudos confirmem essa perspectiva, também ser realizada com uma meia dose da vacina AstraZeneca", declarou o secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes.

Próximos passos

A pesquisa continua. A perspectiva é que até dezembro a análise dos dados seja finalizada e apresentada em uma reunião com representantes da OMS. Depois, o projeto precisa passar pela revisão por pares, ou seja, por outros pesquisadores, para ser publicado e nortear políticas públicas.

Até o final do ano, outros testes serão feitos, como os de imunidade celular, para comprovar a efetividade da meia dose.

"Demonstramos que a meia dose da vacina conseguiu ter resultados surpreendentes, com a indução de anticorpos neutralizantes em 99,8% dos participantes após a segunda dose, e que temos a possibilidade de dobrar o número de vacinados utilizando a meia dose", disse o diretor do Instituto Capixaba de Ensino, Fabiano Ribeiro.

Coronavírus