PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
2 meses

Covid: 125,5 milhões de brasileiros completam vacinação, 58,8% da população

Total de brasileiros que completou o esquema vacinal contra a covid-19 já passou de 125,5 milhões - Alex RIbeiro/Ag. Pará
Total de brasileiros que completou o esquema vacinal contra a covid-19 já passou de 125,5 milhões Imagem: Alex RIbeiro/Ag. Pará

Colaboração para o UOL, em São Paulo

15/11/2021 20h01

Hoje, o Brasil chegou à marca de 125,5 milhões de habitantes com vacinação completa contra a covid-19. Até agora, 125.586.396 brasileiros receberam a segunda dose ou a dose única de imunizante contra a doença, o equivalente a 58,87% da população nacional. Os dados foram levantados pelo consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, com base nos dados fornecidos pelas secretarias estaduais de saúde.

O ciclo vacinal foi concluído por 206.056 brasileiros entre ontem e hoje - destes, 205.813 tomaram a segunda dose e outros 243, a única. Também foram vacinadas 44.023 pessoas com a primeira e 68.797 com a de reforço, totalizando 318.876 doses aplicadas de imunizante contra a doença entre ontem e hoje.

Desde o início da campanha de vacinação contra a covid-19 no Brasil, em meados de janeiro, 156.962.922 pessoas receberam a primeira dose, o correspondente a 73,58% da população do país. O total de aplicações da dose de reforço chegou a 12.016.907.

Primeira dose 15/11 - UOL - UOL
Imagem: UOL

Ceará, Distrito Federal, Minas Gerais, Roraima e Sergipe não informaram dados atualizados sobre a vacinação até o horário de fechamento do boletim do consórcio, às 20h.

Entre as unidades da federação, o estado de São Paulo apresenta a maior porcentagem da população com vacinação completa: 71,77% de seus habitantes. Mato Grosso do Sul (66,22%), Paraná (65,25%), Rio Grande do Sul (64,71%) e Santa Catarina (63,03%) vêm a seguir.

Quanto à aplicação da primeira dose, a liderança também pertence aos paulistas: 81,04% da população local. Na sequência, aparecem Santa Catarina (77,12%), Rio Grande do Sul (76,6%), Paraná (75,63%) e Minas Gerais (75,57%).

Dose completa 15/11 - UOL - UOL
Imagem: UOL

São Paulo estuda liberar uso de máscaras, mas se apoia em dados defasados

Para liberar o uso de máscaras de proteção em ambientes abertos no mês de dezembro, o governo de São Paulo traça um cenário ideal dos dados da pandemia para que a decisão seja tomada de forma segura. O monitoramento, no entanto, está comprometido.

Há dois meses não é possível saber ao certo quantas pessoas registram testes positivos para a covid-19 no estado, conforme apontam levantamentos do Infotracker, instituto de análise de dados da USP e da Unesp, e de uma rede de pesquisa do Facebook, apoiada pelo Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde).

O foco do problema é uma instabilidade na plataforma e-SUS Notifica, do Ministério da Saúde. Outros estados também lidam com a subnotificação no número de casos.

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, g1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Saúde