PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Não é hora de falar em Réveillon e Carnaval, diz secretário de saúde de SP

Secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, diz que "não é hora de falar em Réveillon e Carnaval" - Sergio Andrade/Governo do Estado de São Paulo
Secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, diz que 'não é hora de falar em Réveillon e Carnaval' Imagem: Sergio Andrade/Governo do Estado de São Paulo

Do UOL, em São Paulo

25/11/2021 13h51Atualizada em 25/11/2021 18h20

O secretário de saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, afirmou hoje que "não é hora de falar em Réveillon ou Carnaval" enquanto mais de 50% dos jovens entre 12 e 29 anos do estado ainda não tomaram a 2ª dose da vacina contra covid-19, que reduz a transmissão da doença e os riscos de internação e morte.

"Não é o momento ideal. Nós temos que entender que, em festas como essa, há aglomeração de pessoas que gritam, cantam, retiram as máscaras e não respeitam a questão relacionada ao controle da pandemia", disse Gorinchteyn a jornalistas.

Ele acrescentou que a decisão de desobrigar o uso de máscaras em locais abertos "não é sinal de que a pandemia acabou". O governo de São Paulo anunciou ontem a liberação do uso obrigatório de máscaras a partir do dia 11 dezembro —a proteção seguirá obrigatória em locais fechados e transporte público.

O secretário afirmou que o governo dará apoio aos municípios que decidiram cancelar os eventos de Carnaval "uma vez que sabemos que a disseminação de vírus acaba sendo claramente muito maior".

"Essa discussão [sobre os eventos] tem que ser muito cautelosa e responsável porque nós temos ainda que avançar na proteção da nossa população com relação à imunização", afirmou Gorinchteyn. "É importante que os 645 municípios tenham isso em foco, temos que continuar protegendo a nossa população".

Coronavírus