PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
3 meses

OMS: Estudos da CoronaVac em crianças já foram feitos e estão em análise

Colaboração para o UOL, no Rio

20/01/2022 12h50Atualizada em 20/01/2022 14h05

A diretora-geral adjunta para Medicamentos, Vacinação e Fármacos da OMS (Organização Mundial da Saúde), Mariângela Simão, disse, no UOL Entrevista de hoje, que a organização está analisando os dados sobre os estudos clínicos feitos com o uso da CoronaVac em crianças.

De acordo com ela, só após a avaliação do material, desenvolvido pela Sinovac, laboratório chinês que produz a vacina contra o novo coronavírus, a OMS poderá aprovar o imunizante para essa faixa etária.

"A OMS precisa terminar de ver a submissão dos dados por parte do laboratório produtor para fazer uma análise com base científica. Esse processo já está andando na Anvisa. Está andando mais rápido até porque a Sinovac está produzindo no Brasil e há interesse do laboratório em acelerar esse processo", disse Mariângela, em entrevista à apresentadora do Canal UOL Fabíola Cidral e aos colunistas do UOL Jamil Chade e do VivaBem Lúcia Helena.

Até o momento, assim como o Brasil, a OMS só aprovou o uso da vacina da Pfizer para aplicação em menores de 18 anos. Hoje, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) deu o aval para o uso da CoronaVac de 6 a 17 anos.

A análise que a Anvisa vai fazer também ajuda na decisão do grupo de ética da OMS
Mariângela Simão

Mariângela afirma, no entanto, que a tecnologia usada na fabricação da CoronaVac, utilização de vírus inativado, é largamente empregada em outras vacinas já usadas no mundo, inclusive em crianças.

"Não há, em princípio, um problema com a CoronaVac. O que a OMS ainda está em fase final é a avaliação da indicação para expansão de uma faixa etária", disse Mariângela.

Coronavírus