PUBLICIDADE
Topo

Saúde

OMS registra 348 casos de 'hepatite misteriosa' em 20 países

Casos foram confirmados em 20 países, de acordo com organização; origem da infecção ainda não foi identificada - iStock
Casos foram confirmados em 20 países, de acordo com organização; origem da infecção ainda não foi identificada Imagem: iStock

Do UOL*, em São Paulo

11/05/2022 14h59Atualizada em 11/05/2022 15h01

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que há 348 casos da hepatite misteriosa que afeta especialmente as crianças. Segundo a entidade, episódios foram confirmados em 20 países. Outros 13 têm casos suspeitos que aguardam investigação.

Em entrevista coletiva, Phillipa Easterbrook, cientista do programa mundial da OMS sobre a hepatite, disse que a organização está acelerando análises sobre a doença e uma possível ligação com um adenovírus e a infecção por covid-19.

"Na última semana ocorreram alguns avanços importantes com as pesquisas adicionais e alguns refinamentos das hipóteses de trabalho", disse, em coletiva de imprensa, Philippa Easterbrook, do programa mundial da OMS sobre a hepatite. "Atualmente, as principais hipóteses são as que envolvem o adenovírus, e também continua sendo importante o papel da covid", acrescentou.

A OMS foi informada pela primeira vez em 5 de abril, com 10 casos na Escócia detectados em crianças menores de 10 anos. Apenas seis países informam sobre mais de cinco casos, entre eles o Reino Unido, que registrou mais de 160.

Até a última sexta-feira (6), os Estados Unidos investigavam 109 casos e cinco mortes. Na Indonésia, três crianças morreram pela infecção. Na semana passada, a Argentina confirmou o primeiro caso da doença na América Latina.

O que é a hepatite misteriosa?

A hepatite é uma inflamação do fígado geralmente causada por uma infecção viral. Mas a doença também pode ser provocada pela exposição a alguns produtos químicos, consumo excessivo de álcool, drogas e certos distúrbios genéticos.

Os vírus comuns da hepatite não foram encontrados em nenhum dos casos, segundo o Centro Europeu para a Prevenção e o Controle de Doenças (ECDC) e a OMS.

Essa hepatite tem sintomas como icterícia, diarreia, vômitos e dores abdominais. Alguns casos também provocaram insuficiência hepática e necessitaram de transplante.

Segundo a OMS, as investigações ainda estão em andamento para descobrir o agente causador do que, neste momento, a entidade classifica como "hepatite aguda de etiologia desconhecida". Entre as hipóteses para a causa da doença, estão a infecção por um adenovírus ou outro tipo de agente. Os pesquisadores investigam ainda a possibilidade de o problema ser uma sequela da covid-19.

As informações iniciais ainda precisam ser analisadas. Segundo o infectologista Celso Granato, é possível que "em semanas" pesquisadores identifiquem a real causa da doença. "Vemos a OMS investindo em investigação rápida porque, se não se esclarece a causa, é difícil organizar medida preventiva", diz.

É importante lembrar que a OMS já destacou que os casos não têm relação com a vacina da covid-19. Em Israel, inclusive, o chefe da unidade pediátrica Shaare Zedek Medical Center disse que a maioria das crianças com casos da hepatite havia sido infectada com o novo coronavírus em algum momento do passado. Testes não apontaram infecção pelo adenovírus, disse o médico ao site da revista norte-americana Wired.

*Com informações da AFP

Saúde