Costa do Marfim: mulher do ex-presidente Gbagbo é condenada a 20 anos de prisão

Abidjan, 26 Mai 2016 (AFP) - A Suprema Corte da Costa do Marfim rejeitou, nesta quinta-feira, o recurso apresentado pela ex-primeira-dama marfinense Simone Gbagbo, tornando definitiva sua condenação a 20 anos de prisão por atentar contra a Segurança Nacional - anunciou um de seus advogados.

O advogado Rodrigue Dadjé criticou a "decisão política" e considerou que "há argumentos jurídicos suficientes para anular a condenação".

Mulher do ex-presidente Laurent Gbagbo e atualmente detida em Abidjan, Simone foi condenada em 10 de março de 2015 a 20 anos de reclusão por "atentado à Segurança Nacional". A pena aplicada foi o dobro da que havia sido pedida pelo Ministério Público.

Ela foi julgada com outros 78 acusados por seu papel na crise deflagrad com a recusa do ex-presidente Laurent Gbagbo de reconhecer a vitória de Alassane Ouattara à Presidência, em novembro de 2010.

A onda de violência que marcou a crise pós-eleitoral de 2010-2011 deixou mais de 3.000 mortos em cinco meses.

Michel Gbagbo, o filho do ex-presidente de um primeiro casamento com uma francesa, foi condenado a passar cinco anos atrás das grades.

Atualmente sendo julgado na Corte Penal Internacional de Haia, Laurent Gbagbo também deve comparecer à Justiça, em 31 de maio, em Abidjan, em um processo por crimes contra a humanidade durante a crise pós-eleitoral.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos