Quase 600 mil sírios vivem em cidades sitiadas (ONU)

Nações Unidas, Estados Unidos, 27 Mai 2016 (AFP) - O número de sírios que vivem em cidades militarmente sitiadas aumentou em 75.000 e agora chega a 592.700, o que põe em destaque a piora da situação dos civis neste país mergulhado há cinco anos em uma guerra civil, informou nesta sexta-feira um alto funcionário da ONU.

Stephen O'Brien, vice-secretário-geral das Nações Unidas para Assuntos Humanitários, disse no Conselho de Segurança que o recurso ao sítio e à fome como arma de guerra era "condenável" e "deve cessar imediatamente".

Os novos dados, que supõem um aumento com relação aos 517.700 do último cálculo, incluem moradores da área de Al Wa'er, da região de Homs, no oeste da Síria, que estão situados por forças do governo sírio desde março, explicou O'Brien.

"Estão vivendo em áreas sitiadas pela atroz e deteriorada situação em Al War'er 592.700", explicou no Conselho.

As Nações Unidas se preparam para lançar ajuda humanitária por via aérea sobre as áreas sitiadas a partir de 1º de junho, depois que suas demandas para entrega de ajuda terrestre aos locais sitiados foi repudiada.

As autoridades sírias permitiram em maio a entrega de ajuda a 14 áreas, muitas menos dos 35 povoados, inclusive em uma lista da ONU.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos