Acusado pelo assassinato de deputada britânica será julgado em novembro

Em Londres

  • Elizabeth Cook/PA/AP

    Croqui mostra Thomas Mair (centro), acusado pela morte da parlamentar britânica jo Cox, no tribunal de Westminster, em Londres

    Croqui mostra Thomas Mair (centro), acusado pela morte da parlamentar britânica jo Cox, no tribunal de Westminster, em Londres

O homem acusado pelo assassinato da deputada trabalhista britânica Jo Cox será julgado em 14 de novembro, sob jurisdição antiterrorista, anunciou nesta quinta-feira (23) um juiz da corte penal de Londres.

Thomas Mair, de 52 anos, participou da audiência por videoconferência, na prisão, e se limitou a confirmar seu nome.

A audiência aconteceu no dia em que o Reino Unido vota no referendo sobre sua permanência na União Europeia.

Mair é acusado de assassinato e de posse ilegal de arma de fogo. O caso está sendo investigado de acordo com as leis antiterroristas.

Thomas Mair compareceu a uma primeira audiência no sábado passado e quando o juiz pediu sua identificação, ele respondeu: "Morte aos traidores, liberdade para a Grã-Bretanha".

Cox foi esfaqueada e atingida por tiros na quinta-feira da semana passada, quando seguia para um encontro com seus eleitores em Birstall, norte da Inglaterra.

O brutal assassinato em plena rua de Jo Cox, uma deputada trabalhista que defendia imigrantes e refugiados, comoveu o país e provocou a suspensão da campanha durante três dias.

O juiz John Saunders estabeleceu a data do julgamento para 14 de novembro. Mair vai comparecer novamente à justiça para uma audiência prévia em 19 de setembro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos