Candidata a primeira-ministra britânica criticada por declaração sobre maternidade

Londres, 9 Jul 2016 (AFP) - Andrea Leadsom, um das duas candidatas ao cargo de chefe de Governo da Grã-Bretanha, foi criticada neste sábado por aparentemente ter sugerido que sua adversária, Theresa May, é menos apta a suceder David Cameron por não ser mãe.

Na edição deste sábado do jornal The Times, a secretária de Estado de Energia Andrea Leadsom - casada e mãe de dois filhos e uma filha - é citada afirmando que Theresa May, sua adversária, "talvez tenha sobrinhos, mas eu tenho filhos, que por sua vez terão filhos que serão diretamente parte do que acontece depois".

A ministra do Interior, Theresa May, explicou em uma entrevista esta semana que não conseguiu ter filhos com o marido.

As duas mulheres disputam a sucessão do premier David Cameron. Os militantes do Partido Conservador devem escolher no dia 9 de setembro a nova primeira-ministra, que será a primeira mulher chefe de Governo do país desde Margaret Thatcher.

De acordo com o Times, Andrea Leadsom teria acrescentado: "Acredito genuinamente que ser uma mãe significa que você tem uma participação muito real no futuro do nosso país, uma participação tangível".

Após a publicação do texto, Andrea Leadsom reagiu no Twitter com a publicação de um link para o artigo e o comentário: "Realmente terrível e o exato oposto do que eu disse. Estou enojada".

O deputado conservador David Gauke, que apoia Theresa May, escreveu no Twitter: "Eu gostaria de pensar que isto é um caso de falta de jeito verbal, não de cálculo. Se for o segundo, yuk... em ambos os casos, deve pedir desculpas".

mc/fp

TWITTER

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos