Japão promete investir US$ 30 bilhões na África nos próximos três anos

Nairóbi, 27 Ago 2016 (AFP) - O Japão vai investir 30 bilhões de dólares na África nos próximos três anos, prometeu neste sábado o premier Shinzo Abe, durante uma reunião de cúpula Japão-África em Nairóbi classificada de histórica por seus participantes.

Esta sexta edição da Conferência Internacional de Tóquio sobre o Desenvolvimento da África (Ticad) é realizada em território africano, e não na capital japonesa, como vinha acontecendo desde a primeira edição, em 1993.

"Espero que a soma se eleve a 30 bilhões de dólares", declarou Abe na abertura da Ticad, assinalando que se tratam de investimentos públicos e privados.

Desta soma, 10 bilhões serão destinados ao desenvolvimento de infraestrutura.

Trinta chefes de Estado participam da Ticad, cujos principais eixos são a industrialização da África, a melhoria da saúde e a estabilização de um continente afetado por crises.

Também serão assinados 70 protocolos diversos e acordos comerciais entre Japão e África.

"Trata-se de um investimento que tem confiança no futuro da África", afirmou o premier japonês.

Os 30 bilhões de dólares prometidos pelo Japão incluem novos compromissos de até 21 bilhões, assim como 9 bilhões procedentes de uma promessa de investimento feita três anos antes, na quinta edição da Ticad, explicou à AFP o porta-voz do governo japonês Yasuhisa Kawamura.

"A maioria das nações que escapam da pobreza o fazem graças à industrialização, e a África ainda não chegou à altura do seu potencial", afirmou o presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, enquanto Abe classificou a industrialização de "chave do desenvolvimento econômico".

- A sombra da China -A reunião, que termina neste domingo, é organizada conjuntamente por ONU, União Africana, Banco Mundial e Japão.

O encontro representa para Tóquio uma forma de consolidar sua posição no mercado africano e driblar a oferta feita ao mesmo continente pelo gigante asiático vizinho, a China.

O comércio entre Japão e África subiu a 24 bilhões de dólares em 2015, muito abaixo dos 179 bilhões negociados entre o continente africano e a China.

Presente à Ticad de Nairóbi, a diretora do Programa da ONU para o Desenvolvimento (PNUD), Helen Clark, exortou os participantes da reunião a não esquecerem "o aspecto humano" do desenvolvimento da África.

Coincidindo com a Ticad, o Banco Mundial e o Fundo Mundial de Luta contra a Aids, a Tuberculose e a Malária anunciaram investimentos estimados em 24 bilhões de dólares na África nos próximos três a cinco anos, para ajudar na reestruturação dos sistemas de saúde do continente.

"Para ajudar os países a colocar em prática suas reformas na área de saúde, o Banco Mundial e o Fundo se comprometem a investir 24 bilhões de dólares na África nos próximos três a cinco anos, informaram os dois órgãos em um comunicado comum divulgado na noite desta sexta-feira.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos