Israel extraditará aos EUA israelense acusado de vender armas ao Irã

Jerusalém, 28 Ago 2016 (AFP) - A Corte Suprema israelense decidiu, neste domingo, permitir a extradição aos Estados Unidos de um nacional acusado de vender material de defesa americana ao Irã, informou o ministério da Justiça.

Em um comunicado, declarou que Arye Eliayahu "Eli" Cohen deverá ser entregue às autoridades norte-americanas "com o objetivo de ser julgado pela comissão do delito de comércio com peças militares de reposição com o Irã".

Segundo a ata de acusação na qual se baseia a petição da extradição, entre os anos 2000 e 2004, Cohen exportou, com o apoio de três cúmplices, peças de reposição militares dos Estados Unidos a seu local de residência em Israel, em concreto peças de mísseis Hawk, de caças e de veículos blindados.

"O ato pelo qual se solicita a extradição constitui um delito criminoso sob as leis de ambos" os países, Israel e Estados Unidos, afirmou a Corte em sua sentença do domingo.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu acusou o Irã de "preparar outro Holocausto" e de tentar adquirir armas nucleares com o objetivo de atacar Israel.

O governo israelense se opõe radicalmente ao histórico acordo alcançado entre Teerã e as grandes potências mundiais no ano passado, pelo qual foram levantadas várias sanções internacionais impostas a Teerã em troca que este renuncie a qualquer objetivo militar de seu programa nuclear. Apesar do acordo, o embargo de armas à República Islâmica segue vigente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos