Geddel Vieira Lima pede demissão a Temer em meio a crise política brasileira

Brasília, 25 Nov 2016 (AFP) - O ministro da secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, encarregado da articulação política, apresentou nesta sexta-feira sua carta de demissão ao presidente Michel Temer, depois de denúncias de que tentou pressionar o ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, para defender interesses imobiliários particulares.

"Fiz minha mais profunda reflexão e fruto dela apresento aqui este meu pedido de exoneração do honroso cargo, que com dedicação venho exercendo", ,indicou em carta divulgada à imprensa o ministro, que vem a ser o sexto que Temer perde por escândalos de corrupção ou desavenças internas.

A crise explodiu quando Marcelo Calero renunciou, na semana passada, acusando Vieira Lima de tê-lo pressionado para que o Instituto do Patrimônio Histórico (Iphan), subordinado a sua pasta, aprovasse um projeto imobiliário em Salvador, onde possui um apartamento.

E em uma declaração à Polícia Federal, Calero disse que o próprio Temer o havia pressionado para solucionar o caso.

A oposição anunciou que estuda apresentar um pedido de impeachment de Temer.

Vieira Lima era um articulador-chave do governo, que visa à aprovacão pelo Congresso de um pacote de duras medidas de austeridade para acertar as contas públicas e recuperar a confiança dos investidores, quando o Brasil enfrenta sua pior recessão em mais de um século.

As tensões são acrescida pela assinatura inimente do acordo de delação premiada com altos executivos da construtura Odebrecht, o poderá representar um terremoto político ao envolver nomes importantes no escândalo do Petrolão.

A Bolsa de São Paulo abriu em baixa e o real se desvalorizava ante a nova incerteza políticas.

"É tudo consequência deste quadro político. É muita instabilidade, não se sabe o que pode acontecer. E como o mercado vive desses rumores, reage com quedas nesse cenário instável", comentou à AFP o analista Claudio Oliveira, da paulista Corretora Futura.

"Como reagiriam os investidores com uma nova queda do governo?", questiona.

Vieira Lima é o sexto ministro que Temer perde por vinculação com escândalos de corrupção ou problemas internos no Congresso.

Sua saída e a de Calero foram precedidas pelas dos titulares do Planejamento, Transparência e Turismo, que renunciaram no primeiro mês de gestão por envolvimento com o Petrolão, e a do Advogado Geral da União, que foi afastado em setembro por discrepâncias internas.

w-js/nr/val/cn

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos