Canadá suspende deportação de ativista de direitos humanos iraniana

Montreal, 23 Fev 2017 (AFP) - Uma ativista iraniana dos direitos humanos, que estava prestes a ser expulsa do Canadá, foi favorecida por um indulto nesta quinta-feira (23), que lhe permitiu permanecer no país, informou o governo do Quebec.

Roghayeh Azizi Mirmahaleh, de 60 anos, chegou ao Canadá em 2012 solicitando asilo, porém seu pedido foi negado devido a sua antiga afiliação ao grupo opositor exilado Mujahedin-e Khalq, incluído por Ottawa em sua lista de organizações terroristas.

Azizi esteve presa por três anos no Irã por ativismo político, e seu esposo foi executado.

Na terça-feira (21), a ativista foi colocada sob custódia das autoridades canadenses como uma etapa anterior a sua deportação ao Irã, o que resultou em manifestações públicas.

Sua filha e apoiadores pediram às autoridades para reverter a ordem de deportação.

Segundo a ministra de Imigração do Québec, Kathleen Weil, que havia feito o anúncio, foi concedida uma permissão de residência a Azizi no Canadá por dois anos.

Sua advogada Stephanie Valois ressaltou que o benefício dará a Azizi o tempo necessário para voltar a submeter e obter a categoria de refugiada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos