Meio-irmão de Kim Jong-un foi morto com agente neurotóxico

Kuala Lumpur, 24 Fev 2017 (AFP) - O meio-irmão do líder norte-coreano foi assassinado com VX, um poderoso agente neurotóxico conhecido por sua utilização como arma química, segundo a polícia malaia, que investiga o espetacular ataque de 13 de fevereiro contra Kim Jong-nam.

O veneno utilizado pelos assassinos foi o agente VX - uma versão ainda mais fatal que o gás sarin - indolor, inodoro e altamente tóxico, disse a polícia ao apresentar os resultados de uma análise toxicológica preliminar.

Traços de VX, considerado uma arma de destruição em massa pela ONU, foram encontradas em amostras do rosto e dos olhos do meio-irmão do líder norte-coreano Kim Jong-un, que morreu após ter sido atacado por duas mulheres no aeroporto de Kuala Lumpur.

Imagens do sistema de videovigilância do aeroporto mostram em seguida a vítima, um homem corpulento de 45 anos, solicitando ajuda aos funcionários do local, que o levaram a uma clínica do terminal aéreo para receber ajuda. Kim Jong-nam, que estava no aeroporto para embarcar rumo a Macau, faleceu pouco depois enquanto era levado ao hospital.

O VX, como é conhecido no jargão militar da Otan, ataca o sistema nervoso e muscular, atuando por inalação ou simples contato com a pele.

A necropsia descartou um ataque cardíaco e a investigação havia se concentrado na hipótese de que uma toxina teria sido aplicada em seu rosto.

Os investigadores malaios tentarão determinar de onde este agente químico fatal é procedente, declarou o chefe da polícia nacional, Khalid Abu Bakak. "Vamos investigar como entrou no país. O produto químico é ilegal. É uma arma química", disse.

O VX pode ter sido escondido sem dificuldade em uma maleta diplomática, que não está submetida aos controles habituais da alfândega, declarou um especialista em segurança da região, Rohan Gunaratna.

- 'Contrabando' -A Coreia do Norte utilizou no passado maletas diplomáticas "para passar como contrabando materiais que estariam submetidos a controles se transitassem pelos canais habituais", acrescentou Gunaratna, diretor do Centro Internacional de Investigação sobre Terrorismo e Violência Política.

E a Coreia do Norte fabricou VX anteriormente, acrescentou.

Segundo Lee Il-Woo, analista sul-coreano de defesa, "a Coreia do Norte teria grandes reservas de VX, que pode facilmente ser fabricado a preços baixos".

"Os serviços de inteligência norte-coreanos foram muito ativos na Tailândia, Malásia e Indonésia, e hoje representam uma ameaça para a região", segundo Gunaratna.

Desde o início deste caso digno de um livro de espionagem, a Coreia do Sul acusa seu vizinho do Norte, citando uma "ordem permanente" do líder Kim Jong-un de eliminar seu meio-irmão, crítico do regime comunista que governa um dos países mais fechados do mundo.

Há três suspeitos detidos: as duas mulheres - uma vietnamita e uma indonésia - e um homem norte-coreano.

A polícia malaia também tem suspeitas sobre quatro norte-coreanos que fugiram da Malásia no mesmo dia do crime para viajar a Pyongyang. Também quer interrogar outros três norte-coreanos, entre eles um diplomata em Kuala Lumpur.

Nesta semana, o ministro sul-coreano das Relações Exteriores, Yun Byung-Se, convocou a comunidade internacional a tomar medidas contra a Coreia do Norte se for confirmada a hipótese de um ataque lançado por Pyongyang.

"A comunidade internacional encararia isso como um ato de terrorismo de Estado que afeta a soberania da Malásia", declarou Yun após um encontro na quarta-feira com seu colega britânico, Boris Johnson.

A imprensa oficial da Coreia do Norte, por sua vez, atacou duramente a Malásia e rejeitou a investigação que, segundo ela, está politizada.

A agência de notícias KCNA quebrou o silêncio imposto após o assassinato e acusou na quinta-feira este país de ser o responsável por sua morte e de ter armado um complô com a Coreia do Sul.

"O principal responsável por esta morte é o governo da Malásia, já que o cidadão da República Popular faleceu em seu território", disse a KCNA, que atribui a tese de envenenamento a "rumores insensatos".

fa/hg/ltl-me/ra/ma

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos