Papa Francisco encontra os esquecidos na periferia de Milão

Milão, 25 Mar 2017 (AFP) - O papa Francisco faz neste sábado sua primeira visita a Milão, norte da Itália, onde teve um encontro emocionante com a população carente da periferia da capital econômica da Itália.

"Venho como sacerdote para estar com vocês", disse, ao chegar a um dos maiores bairros populares da cidade.

"A Igreja não deve permanecer no centro esperando, deve ir ao encontro de todos, ir às periferias, encontrar não crentes e não cristãos", disse o pontífice.

O papa chegou à cidade às 8H00 (4H00 de Brasília) e foi recebido no aeroporto Linate pelo cardeal Angelo Scola, arcebispo da cidade, pelo presidente da região da Lombardia, Roberto Maroni, e pelo prefeito Giuseppe Sala.

Francisco foi recepcionado ao som dos sinos das quase mil igrejas de Milão, uma homenagem à primeira visita à cidade do pontífice sul-americano.

Como é frequente em suas viagens pastorais, Francisco dedicará boa parte do dia a visitar áreas carentes e a conversar com pessoas mais humildes.

O pontífice pretendia conhecer pessoalmente a outra face da cidade, símbolo da moda e do luxo.

Francisco seguiu imediatamente para o bairro popular Case Bianche (Casas Brancas), na periferia, onde foi recebido por quase 8.000 habitantes.

"É algo simbólico. O papa visitará o coração de Milão, mas passará primeiro pela periferia", disse à AFP o padre Augusto Bonora.

No bairro multiétnico, onde vivem famílias ciganas, muçulmanas e de imigrantes de várias nacionalidades, o papa foi aplaudido pelos moradores.

Francisco se reuniu com algumas famílias, incluindo uma formada por muçulmanos com vários filhos, para ouvir seus problemas.

Depois de conversar com as famílias, o papa rezou diante de um pequeno santuário dedicado à Virgem de Lourdes, ao lado de centenas de crianças e jovens, muitos deles procedentes de outros bairros próximos.

Francisco seguiu para o Duomo, a esplêndida catedral gótica no centro histórico da cidade, onde rezou o Angelus diante de milhares de fiéis.

O papa também visitou a prisão de de San Vittore, umas das maiores da Itália, para almoçar com os detentos.

O menu (risoto, carne empanada e pannacotta) foi preparado pelos presos.

O pontífice tinha programado um descanso de 30 minutos no quarto do capelão da prisão. Um gesto inédito e que reflete seu estilo sóbrio, simples e informal, com o desejo de estar próximo das pessoas mais necessitadas.

De acordo com o programa da visita, ele seguirá de automóvel para a cidade de Monza, a 20 quilômetros de distância, onde celebrará uma missa diante de quase 700.000 fiéis.

O pontífice concluirá a jornada com um encontro com os jovens no estádio San Siro de Milão.

bur-kv/fp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos