Governo irlandês ameaçado em momento crucial do Brexit

Dublin, 24 Nov 2017 (AFP) - A oposição irlandesa ameaçou nesta sexta-feira derrubar o governo de Leo Varadkar em um momento-chave das discussões sobre o futuro da fronteira com o Reino Unido após o Brexit.

O principal partido de oposição apresentou uma moção de censura contra a vice-primeira-ministra, Frances Fitzgerald, por sua gestão de um escândalo policial, alertando que haverá eleições caso não renuncie.

A vice-primeira-ministra "deveria se demitir, isso evitará eleições gerais", disse à rádio RTE o líder do partido Fianna Fail, Micheal Martin.

A oposição acusa Fail de estar a par de uma campanha para desacreditar um policial envolvido em um caso de corrupção dentro da entidade.

Fianna Fail permite a sobrevivência parlamentar do governo do Fine Gael, liderado por Varadkar, o primeiro chefe de governo homossexual e filho de imigrantes da história da Irlanda.

Se Fianna Fail retirar seu apoio, o país se encaminhará para eleições antecipadas antes do Natal, quando o futuro da fronteira entre Irlanda e Irlanda do Norte após o Brexit estará na agenda da cúpula europeia de dezembro.

"Fianna Fail está se comportando de forma temerária" em um momento em que "o governo está gerindo alguns assuntos muito sérios", disse à imprensa o ministro das Relações Exteriores irlandês, Simon Coveney, em Bruxelas, onde se reuniu com o negociador europeu para o Brexit, Michel Barnier.

Dublin exige que a fronteira continue totalmente aberta e ameaça bloquear a eventual aprovação dos líderes europeus em dezembro, abrindo as portas para uma segunda fase de negociações, com um acordo comercial sobre a mesa, como reclama Londres.

O chanceler irlandês advertiu que se não forem registrados avanços "em termos de maior clareza e credibilidade" para evitar uma "fronteira dura" na ilha da Irlanda, não poderão passar para a próxima fase. "Até agora a questão irlandesa não tem solução", alertou.

O retorno dos controles fronteiriços pode danificar a economia da zona e agita o fantasma do velho conflito entre protestantes pró-britânicos, chamados unionistas, e católicos partidários da reunificação irlandesa, conhecidos como republicanos.

Os unionistas da Irlanda do Norte, apoio parlamentar da primeira-ministra britânica, acusam o governo de Varadkar de usar o Brexit para alcançar a reunificação da ilha da Irlanda.

jla-al-tjc/cb

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos