Maduro diz estar disposto a deixar de vender petróleo aos EUA

Caracas, 29 Nov 2017 (AFP) - O presidente de Venezuela, Nicolás Maduro, se declarou nesta terça-feira (28) disposto a deixar de vender petróleo para os Estados Unidos, para o qual fornece 750.000 barris diários, em meio às crescentes tensões entre Washington e Caracas.

"No dia que eles não quiserem que lhes vendamos nosso petróleo, pegamos nossas coisas (...) e vendemos todo o nosso petróleo para a Ásia, não tem problema", disse Maduro na cerimônia de posso do general Manuel Quevedo como novo presidente da estatal de energia PDVSA.

O presidente acusa Washington de liderar uma "perseguição financeira" contra a Venezuela, submetida pelo presidente Donald Trump a sanções econômicas em agosto passado.

As sanções proíbem cidadãos e entidades americanas de renegociar a dívida pública venezuelana, uma questão crucial no momento em que o país e a PDVSA foram declarados em "default" por um grupo de credores e agências de classificação de risco.

Maduro busca renegociar a dívida externa, calculada em cerca de 150 bilhões de dólares, dos quais 30% correspondem à PDVSA.

"Mister presidente Donald Trump, você decide, meu compadre: se quer que sigamos vendendo petróleo, vendemos petróleo; se um dia você se deixar levar pelos loucos extremistas de direita, a Venezuela vai pegar seus barquinhos e levar seu petróleo para o mundo, para vendê-lo igualzinho", declarou Maduro em discurso para trabalhadores da PDVSA.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos