Emirados expulsam candidato à eleição presidencial egípcia

Cairo, 2 dez 2017 (AFP) - O ex-primeiro-ministro egípcio Ahmed Shafiq, que anunciou sua intenção de ser candidato à eleição presidencial de seu país, será expulso dos Emirados Árabes Unidos, onde está exilado, e devolvido ao Cairo - informaram duas pessoas de seu entorno.

Neste sábado, autoridades foram à residência de Shafiq para lhe informar que seria transferido para o Egito em um avião privado, segundo uma das fontes consultadas pela AFP, presente no local.

Primeiro-ministro nos últimos dias de Hosni Mubarak à frente do Estado em 2011, Shafiq havia dito, na quarta-feira, que os Emirados Árabes Unidos estavam impedindo-no de deixar seu território, poucas horas depois de anunciar sua candidatura à eleição presidencial de 2018 contra o presidente Abdel Fattah Al-Sissi.

Ahmed Shafiq já foi candidato na eleição de 2012, mas foi vencido pelo islamita Mohamed Mursi. Pouco depois da derrota, foi investigado pela Justiça egípcia por corrupção e acabou se exilando nos Emirados Árabes Unidos.

Acabou sendo absolvido e, segundo seu advogado, era livre para voltar para seu país.

"Foram buscá-lo em sua casa e o colocaram em um avião privado. Disseram que voltaria para o Cairo, já que podiam devolvê-lo apenas para seu país de origem", disse a fonte da AFP.

No Facebook, a advogada de Shafiq, Dina Adly, confirmou que seu cliente havia sido "detido" para ser reenviado para o Egito.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos