EUA se retiram do Pacto Mundial da ONU sobre imigração e refugiados

Nações Unidas, Estados Unidos

  • SERGEY PONOMAREV/NYT

    Refugiados são escoltados para campo de registro, nos arredores de Dobova, na Eslovênia

    Refugiados são escoltados para campo de registro, nos arredores de Dobova, na Eslovênia

Os Estados Unidos anunciaram, no sábado (2), sua retirada de um Pacto Mundial da ONU sobre proteção de migrantes e refugiados por considerá-lo "incompatível" com a política migratória americana.

"Hoje, a missão americana na ONU informou a seu secretário-geral que os Estados Unidos encerrarão sua participação no Pacto Mundial sobre a Migração", anunciou a representação de Washington em um comunicado.

Os 193 membros da Assembleia Geral da ONU aprovaram em setembro de 2016 a Declaração de Nova York com o propósito de melhorar a proteção e a gestão dos movimentos de migrantes e refugiados.

Nesse sentido, a declaração concedeu um mandato ao Alto Comissariado da ONU para os Refugiados para propor à Assembleia Geral, em 2018, um pacto mundial que teria dois eixos: definições de respostas diante do problema e um programa de ação.

"Os Estados Unidos se orgulham de sua herança em matéria de imigração e de sua liderança no apoio a populações de migrantes e refugiados em todo o mundo", destaca no comunicado a embaixadora americana na ONU, Nikki Haley.

"Mas a abordagem mundial da Declaração de Nova York é incompatível com a soberania americana", alegou Nikki Haley.

"A Declaração de Nova York abarca muitas disposições que são incompatíveis com as políticas americanas de imigração e refugiados e com os princípios ditados pelo governo Trump em matéria de imigração", afirma o comunicado da missão americana na ONU.

"Em consequência, o presidente Trump decidiu deter a participação dos Estados Unidos na preparação do pacto que aponta para obter um consenso na ONU em 2018", completa.

"Nenhum país fez mais do que os Estados Unidos, e nossa generosidade continuará", completou Haley.

"Mas nossas decisões sobre as políticas de imigração devem ser tomados pelos americanos, e apenas pelos americanos. Nós decidiremos a melhor forma de controlar nossas fronteiras e quem será autorizado a entrar no nosso país", frisou.

Na administração Trump, os Estados Unidos já romperam vários compromissos assumidos durante a era de Barack Obama, entre eles o Acordo de Paris sobre o clima.

Recentemente, Trump retirou os Estados Unidos da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), alegando que a instituição teria preconceitos contra Israel.

A retirada dos Estados Unidos do projeto de pacto sobre migração se dá no momento em que nove países europeus e africanos, ONU, União Europeia e União Africana acabam de decidir empreender "nos próximos dias, ou semanas, ações urgentes de retirada" de migrantes vítimas de traficantes na Líbia.

A longa espera de um refugiado para reencontrar a família

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos