O fuzil AR-15 e a obsessão americana por armas

Washington, 21 Fev 2018 (AFP) - As piores matanças nos Estados Unidos têm um elemento em comum: o uso de um fuzil de assalto modificado para o uso civil, relativamente barato e eficientemente letal.

Trata-se do já famoso AR-15, fabricado pela gigante Colt, que novamente está no centro do debate, após um jovem utilizar uma arma deste tipo para matar 17 pessoas em uma escola de ensino médio da Flórida.

- Por que o AR-15 é tão letal? -É um fuzil de assalto semiautomático (na versão civil) que pode disparar vários tiros rapidamente. É uma versão compacta do fuzil M-16, uma arma totalmente automática capaz de disparar rajadas e utilizada pelas Forças Armadas americanas há décadas. A comercialização e o uso de armas totalmente automáticas estão proibidos para civis.

Ele dispara balas de calibre .223, atinge longas distâncias e provoca ferimentos devastadores em tecidos e órgãos internos.

Suas balas viajam a uma velocidade três vezes mais rápida que a de armas curtas. Eles são muito populares entre caçadores profissionais.

- O 'bump stock' -O mercado americano, contudo, criou um dispositivo denominado "bump stock".

Baratas, feitas com plástico resistente e praticamente desconhecidas fora dos Estados Unidos, essas peças são acopladas à coronha e utilizam o recuo da arma para acelerar os disparos. Em resumo: transformam um fuzil semiautomático em uma arma automática capaz de disparar rajadas.

Assim, não é preciso pressionar o gatilho repetidamente, mas apenas uma vez, para ter o efeito das rajadas, a uma frequência levemente inferior à de uma arma automática.

Em outubro do ano passado, Stephen Paddock provocou a morte de 58 pessoas e feriu outras 800 durante um show em Las Vegas, utilizando várias armas, entre elas fuzis AR-15 dotados de "bump stocks".

Na terça-feira, o presidente Donald Trump anunciou que apoia iniciativas para proibir os "bump stocks", embora este pequeno indício tenha provocado a indignação imediata dos defensores do direito à posse de armas.

- Barato e fácil -Nos Estados Unidos, comprar um AR-15 é fácil. Dependendo do estado, uma pessoa pode ir a uma loja, apresentar um documento de identidade e passar por uma rápida checagem federal.

Ali se verifica se o comprador possui um prontuário, ou se já foi internado em uma instituição psiquiátrica. Mas essa checagem pode ser evitada nas famosas "feiras de armas".

Nikolas Cruz, autor do assassinato da semana passada, na Flórida, tinha comprado legalmente seu AR-15 e passou pela checagem.

Como tinha 18 anos, a conferência de antecedentes não encontrou nenhum sinal preocupante. Em diversos estados, basta ter 18 anos para comprar uma arma, embora para tomar uma cerveja seja preciso esperar mais três anos.

Muitos americanos usam apenas lojas digitais e compram armas entregues em casa. O preço varia, mas o AR-15 pode ser comprado até por 500 dólares.

Parte da popularidade dos AR-15 é a possibilidade de serem adaptados, já que os donos podem comprar livremente infinitas possibilidades de miras telescópicas e uma incrível diversidade de acessórios.

A Fundação Nacional de Esportes de Tiro estima que a indústria vende 1,3 milhão de "rifles modernos e armas de tipos similares" ao ano.

As estimativas indicam que haveria em média uma arma para cada habitante nos Estados Unidos, país com uma população de mais de 320 milhões de pessoas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos