PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Autor do atentado de Manchester foi retirado da Líbia pela Marinha britânica

31/07/2018 06h28

Londres, 31 Jul 2018 (AFP) - O britânico que matou 22 pessoas em um atentado suicida em Manchester em 2017 havia sido resgatado da guerra da Líbia pela Marinha do Reino Unido três anos antes, informa o jornal Daily Mail.

Salman Abedi, na época um estudante de 19 anos da Universidade de Manchester que passava férias na Lívia, se viu preso na guerra civil no país árabe e foi uma das pessoas resgatadas em agosto de 2014 pelo navio "HMS Enterprise".

Seu irmão mais novo Hashem, que aguarda julgamento como cúmplice do atentado na Manchester Arena em 22 de maio de 2017, também estava no navio que os levou até Malta, de onde viajaram ao Reino Unido, segundo o Daily Mail.

"Que este homem tenha cometido tal atrocidade no território do Reino Unido depois que o resgatamos da Líbia foi um ato de traição ainda maior", afirmou ao jornal uma fonte governamental não identificada.

Em um comunicado recebido pela AFP, o ministério da Defesa explica que o resgate de Abedi aconteceu "com base na informação disponível no momento".

"Como resultado da enorme violência em Trípoli e das ofensivas militares de grande escala contra os grupos jihadistas aconselhamos aos cidadãos britânicos que abandonassem a Líbia", recordou o ministério.

No momento da viagem à Líbia, Abedi era vigiado pelo serviço secreto britânicos mas a investigação foi encerrada por um erro de identificação, informa o Daily Mail.

O autor do atentado nasceu no Reino Unido em uma família líbia. Seu pai era um opositor ao regime de Muamar Khadafi.

Quando teve início a revolta que acabaria com a derrubada e morte do líder líbio, a família Abedi começou a ir e voltar do país árabe.

Uma fonte das forças de segurança colocou em dúvida a ideia de que Salman Abedi foi um combatente na Líbia antes do resgate.

"Fez as coisas principalmente sozinho. A internet teve um grande papel em seu treinamento", afirmou a fonte ao jornal.

Internacional