PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Escultura de gelo de 2 m derrete diante do Congresso dos EUA em protesto contra fake news

22.set.2018 - Escultura de gelo com a palavra "truth" ("verdade") derrete diante do Congresso dos Estados Unidos em protesto da dupla de artistas Ligorano Reese contra as fake news - Olivia HAMPTON / AFP
22.set.2018 - Escultura de gelo com a palavra "truth" ("verdade") derrete diante do Congresso dos Estados Unidos em protesto da dupla de artistas Ligorano Reese contra as fake news Imagem: Olivia HAMPTON / AFP

Em Washington

23/09/2018 10h07

Uma escultura de gelo com a palavra "Truth" (verdade) derreteu em frente ao Congresso americano, no sábado (22), em um protesto contra a era das "fake news" sob o governo de Donald Trump e como um apelo por maior transparência.

"Truth  be  told" (que se diga a verdade), de cerca de 2 metros de altura e 3 de comprimento, é a sexta escultura da série "Melted  Away" (derretido) lançada em 2006 pela dupla de artistas Ligorano  Reese.

Marshall Reese e Nora Ligorano, ambos de 62 anos, colaboram em projetos de arte há quase quatro décadas. Entre suas obras, estão trabalhos de tecido com malha de fibra óptica, espelhos e livros.

Suas outras esculturas de gelo incluem as palavras "Democracy" (Democracia), "Economy" (Economia), "Middle class" (Classe Média), "The Future" (O Futuro) e "The American  Dream" (O Sonho Americano).

Os artistas decidiram pedir mais transparência e honestidade a Washington, "porque o gelo é um material que desaparece, é um momento urgente, e a verdade realmente está derretendo", disse Ligorano à AFP, enquanto as pessoas se reuniam em torno da escultura.

O processo de elaboração da escultura e seu derretimento foram transmitidos em streaming.

Na sexta-feira, os artistas organizaram uma leitura com poesia que reuniu poetas de Washington. No domingo, um painel de jornalistas, comitês de vigilância e outros grupos se unirão em "uma cruzada para manter a verdade".

"É tanto um protesto contra Trump quanto um apelo por mais transparência e mais honestidade", explicou Ligorano.

Internacional