PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Presidente iraniano apresenta orçamento adaptado às sanções americanas

25/12/2018 12h04

Teerã, 25 dez 2018 (AFP) - O presidente iraniano Hassan Rohani apresentou nesta terça-feira no Parlamento o primeiro orçamento anual desde o retorno das sanções americanas e afirmou que o projeto foi adaptado para enfrentar as medidas "cruéis" de Washington.

Rohani anunciou um aumento de 20% dos salários do funcionalismo público, apesar dos desafios econômicos impostos ao país desde o anúncio, em maio, da retirada dos Estados Unidos do acordo nuclear de 2015.

A retomada das sanções de Washington contra o setor petroleiro e financeiro iraniano em novembro agravou ainda mais a difícil situação econômica do país.

O orçamento "foi elaborado de maneira proporcional às cruéis sanções americanas", afirmou Rohani durante seu discurso no Parlamento.

Este projeto de orçamento não menciona o número de barris de petróleo que o Irã espera vender durante o próximo ano fiscal, que começa em março. O setor de energia, vital para a economia do país, está sob embargo.

De acordo com analistas, as vendas podem registrar queda em comparação com os 2,5 milhões de barris vendidos por dia antes da saída americana do acordo nuclear.

Washington autorizou oito dos principais países importadores de petróleo iraniano - entre eles China, Índia e Turquia - a seguir comprando de maneira temporária. A medida, no entanto, é uma faca de dois gumes para Teerã porque contribuiu para a queda dos preços do combustível.

Durante o discurso, Rohani apresentou apenas alguns pontos do orçamento - que deve ser examinado pelo Parlamento e aprovado pelos deputados - mas admitiu que seu país está sob pressão.

"No início de ano, nossas reservas de divisas eram quase nulas, forçando o governo a tomar decisões difíceis para salvar o país", disse.

Teerã pressionou os exportadores para que repatriem seus dólares ao Irã. Neste sentido, Rohani advertiu nesta terça-feira que pretende revisar as ajudas fiscais caso não atendam ao apelo.

O banco central iraniano usa estes dólares para consolidar o rial, que perdeu quase metade de seu valor desde maio, enquanto o preço dos alimentos aumentou quase 56% entre novembro 2017 e novembro de 2018.

Mas alguns problemas econômicos do país são anteriores às sanções: o setor bancário iraniano está repleto de ativos fictícios e indústrias estratégicas com vínculos opacos com o Estado ou o exército, de acordo com analistas.

Internacional