PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Israel põe fim ao mandato de observadores internacionais em Hebron

28/01/2019 21h50

Jerusalém, 28 Jan 2019 (AFP) - O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, anunciou nesta segunda-feira (28) que Israel encerrará o mandato de uma missão internacional de observadores baseada em Hebron, uma cidade da Cisjordânia ocupada onde prevalece uma grande tensão entre palestinos e colonos israelenses.

"Não autorizamos a continuidade da presença de uma força internacional que atua contra nós", afirmou Netanyahu, segundo um comunicado de seu gabinete.

A missão de observadores, chamada "TIPH" (Presença internacional temporária), está em Hebron conforme a um acordo israelense-palestino, concluído após o assassinato em fevereiro de 1994 por um colono israelense de 29 palestinos que rezavam na Tumba dos Patriarcas, um lugar santo para judeus e muçulmanos.

Inclui cerca de 60 observadores de nacionalidade norueguesa, sueca, italiana, suíça e turca, e seu mandato se renova a cada seis meses.

Hebron é a maior cidade da Cisjordânia, um território palestino ocupado por Israel há mais de 50 anos. Nela vivem 600 colonos israelenses, protegidos por milhares de soldados, entre 200.000 habitantes palestinos.

A missão civil de observação internacional tem como principal objetivo registrar e informar as transgressões cometidas por colonos ou palestinos. Ela não está autorizada a intervir diretamente em possíveis incidentes.

Nesses últimos anos, Israel denunciou vários membros desta missão por considerar que eles são parciais.

mib/iw/es/pb/cc

Internacional