PUBLICIDADE
Topo

Presidente do Peru dissolve Parlamento, que reage com suspensão e nomeação de nova presidente

2.set.2019 - Mercedes Aráoz foi nomeada presidente interina - Andrea Verdelli/Pool via Reuters
2.set.2019 - Mercedes Aráoz foi nomeada presidente interina Imagem: Andrea Verdelli/Pool via Reuters

Em Lima

30/09/2019 23h54

O Congresso do Peru, controlado pela oposição, aprovou nesta segunda-feira a suspensão "temporária" do presidente Martín Vízcarra por "incapacidade moral", após o mandatário dissolver o Parlamento, e nomeou como presidente interina a vice-presidente Mercedes Aráoz.

Em uma sessão que contou com a presença de apenas 86 dos 130 parlamentares, foi aprovada uma moção do "fujimorismo" para declarar a "incapacidade moral do presidente da República e sua suspensão temporária", disse o chefe do Legislativo, Pedro Olaechea.

A medida deixa o país em um impasse institucional, com dois presidentes, Vizcarra e Aráoz, ambos eleitos na chapa de Pedro Pablo Kuczynski, que renunciou em 2018.

Aráoz, uma economista de 58 anos que foi ministra no segundo governo de Alan García (2006-2011), prestou juramento imediatamente como presidente diante de Olaechea.

"É meu dever como cidadã, mulher, mãe e vice-presidente assumir este mandato. Teria sido mais fácil renunciar, mas não fujo das minhas responsabilidades, por mais difíceis que sejam as circunstâncias", disse Aráoz, que qualificou de "inconstitucional" a dissolução do Congresso.

Quase na mesma hora foi publicado no diário oficial El Peruano o decreto de dissolução do Congresso.

Segundo Olaechea, o Congresso votará na sexta-feira a destituição definitiva de Vizcarra.

Notícias