PUBLICIDADE
Topo

Mais de 500 casos de coronavírus nas prisões da China

21/02/2020 06h04

Pequim, 21 Fev 2020 (AFP) - A China anunciou nesta sexta-feira mais de 500 casos de contágio do novo coronavírus em suas prisões, 200 deles no mesmo centro penitenciário, o que aumenta os temores de novos focos de propagação.

Ao menos 200 detentos e sete guardas da prisão de Rencheng, em Jining, na província de Shandong, foram infectados pelo vírus, anunciaram as autoridades locais.

"A aplicação de medidas de prevenção e de controle não foi eficaz", admitiu Wu Lei, diretor da administração penitenciária de Shandong.

Xie Weijun, secretário de Justiça de Shandong, dois altos funcionários da administração penitenciária e cinco funcionários da penitenciária foram demitidos, acusados de negligência, anunciou o governo provincial.

Na penitenciária de Shilifeng, na província de Zhejiang, foram registrados 34 casos.

O governo da província de Hubei, epicentro da epidemia, informou nesta sexta-feira que 271 casos de infecção foram registrados em suas prisões.

De acordo com a imprensa estatal, 230 casos foram registrados no presídio feminino de Wuhanm, onde os guardas foram demitidos. Outros 41 casos aconteceram em uma unidade do cantão Shayang.

Apesar das medidas drásticas de quarentena e restrição de deslocamento adotadas pelas autoridades, o aumento nos contágios nas prisões provoca o temor de novos focos de propagação em locais onde muitas pessoas estão confinadas.

Além disso, a diáspora uigur alerta para os riscos de um grande contágio do vírus nos centros de internação de Xinjiang (noroeste de China). ONGs e analistas afirmam que centenas de milhares de integrantes desta minoria muçulmana estão detidos nesta região, cenário há muitos anos de vários atentados.

tjx/jug/ehl/phv/es-bc/fp

Notícias