PUBLICIDADE
Topo

Na Síria, Via Láctea brilha sobre um oceano de escombros

27.jun.2020 - Homem é fotografado fumando um cigarro perto de escombros de prédios derrubados na guerra da Síria, em Ariha, na província de Idlib - Omar Haj Kadour/AFP
27.jun.2020 - Homem é fotografado fumando um cigarro perto de escombros de prédios derrubados na guerra da Síria, em Ariha, na província de Idlib Imagem: Omar Haj Kadour/AFP

27/06/2020 14h13

Anos de violência em uma das últimas fortalezas da oposição na Síria deixaram um cenário de desolação e destruição, que contrasta com a visão majestosa do céu estrelado da Via Láctea.

Acima da cidade bombardeada de Ariha, na província de Idlib, as estrelas se assemelham a manchas brilhantes penduradas sobre edifícios pulverizados.

Usando um método de longa exposição, um fotógrafo da AFP obteve essas fotografias em uma noite incomumente clara, embora sem lua, refletindo o contraste entre a destruição na Terra e a beleza da Via Láctea.

Uma ofensiva do governo Bashar al-Assad apoiada pelas forças russas, entre dezembro e março passados, devastou Ariha e outras cidades no noroeste da Síria, causando o deslocamento de quase um milhão de pessoas.

Prédios destruídos - Omar Haj Kadour/AFP - Omar Haj Kadour/AFP
Prédios destruídos por bombardeios em Ariha, na Síria, são fotografados sob a Via Láctea
Imagem: Omar Haj Kadour/AFP

Uma trégua acordada em 6 de março reduziu bastante os combates, mas a Rússia retomou os ataques aéreos este mês. Cerca de 780 mil de 1 milhão de deslocados ainda não conseguiram voltar para suas casas, segundo as Nações Unidas.

Aninhada em uma região montanhosa de Idlib, Ariha está hoje sob o controle do grupo Hayat Tahrir al-Sham (HTS) ligado à rede Al-Qaeda e a outros aliados rebeldes. Antes da ofensiva do governo, Ariha tinha quase 70 mil habitantes.

Atualmente, é um lugar quase deserto.

Ariha, na Síria - Omar Haj Kadour/AFP - Omar Haj Kadour/AFP
Via Láctea é vista acima de prédios destruídos em Ariha, na Síria
Imagem: Omar Haj Kadour/AFP

A escuridão reina ali, e as luzes que emanam dos telefones celulares dos raros habitantes são pouco visíveis.

Cerca de metade da população de 3 milhões de Idlib é composta por pessoas deslocadas de outras regiões da Síria, reconquistadas pelas forças do governo.

Iniciada em 2011, a guerra na Síria já deixou mais de 380 mil mortos e deslocou quase metade da população do país. Com a ajuda de seus aliados, Rússia e Irã, o presidente Assad conseguiu recuperar quase 70% do território nacional.

Internacional