PUBLICIDADE
Topo

Internacional

EUA oferecem US$ 10 milhões por dois ex-ministros da Venezuela ligados a apagões

Manifestação exibe bandeira da Venezuela - REUTERS/Ivan Alvarado/File
Manifestação exibe bandeira da Venezuela Imagem: REUTERS/Ivan Alvarado/File

30/09/2020 16h22

Os Estados Unidos ofereceram até 10 milhões de dólares em recompensa nesta quarta-feira(30) por dois ex-ministros venezuelanos que vinculam a um colapso do sistema elétrico e os acusam de receber propina.

"O Departamento de Estado dos EUA anuncia recompensas de até cinco milhões cada por informações que levem a prisões ou condenações" de Luis Motta Domínguez e Eustiquio Lugo Gómez, disse o secretário de Estado americano Mike Pompeo.

Motta Domínguez, ex-ministro de Energia Elétrica da Venezuela, e Lugo Gómez, ex-vice-ministro de Finanças, Investimentos e Alianças Estratégicas, foram acusados em 27 de junho de 2019 pelo Ministério Público dos Estados Unidos de desviarem fundos públicos em benefício próprio.

De acordo com a acusação, Domínguez e Gómez supostamente concederam a três empresas sediadas na Flórida contratos de mais de 60 milhões de dólares com a Corpoelec (Corporación Eléctrica Nacional) em troca de subornos.

Em 28 de julho deste ano, ambos foram impedidos de entrarem nos Estados Unidos.

Motta Domínguez é um general aposentado que foi afastado do cargo de ministro em abril de 2019, em meio aos apagões, enquanto Lugo Gómez se encarregava das aquisições da Corpoelec.

Mergulhada em uma grave crise política e econômica, a Venezuela sofreu uma série de apagões no ano passado. O maior foi em março e deixou o país na escuridão por uma semana.

O presidente socialista Nicolás Maduro atribuiu à falta de energia a "ataques eletromagnéticos" dos Estados Unidos em cumplicidade com a oposição, com o objetivo de derrubá-lo.

No entanto, apagões são comuns há anos no país com a maior reserva de petróleo do mundo.

Internacional